quinta-feira, 15 de setembro de 2016

O valor da propina no âmbito da Petrobras totalizou R$ 6,2 bilhões

O valor da propina no âmbito da Petrobras totalizou R$ 6,2 bilhões, segundo o procurador do Ministério Público Federal (MPF), Deltan Dallagnol. A cifra é a soma de todo valor pago por empresas para obter benefícios, principalmente no governo federal.
Mas o procurador afirma que o valor é ampliado se se considerar que o esquema extrapola o âmbito da petroleira, tendo investigações acerca de contratos da Caixa Econômica Federal, Eletrobras e dos ministérios da Saúde e do Planejamento.
O procurador diz que o esquema era liderado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que houvesse governabilidade no país. Dallagnol afirma que, em um país que se vale do presidencialismo de coalizão, o chefe do Executivo precisa de apoio de outros partidos para aprovar projetos no Congresso. “O presidente não consegue governar sozinho”, diz.
O procurador diz que, no entanto, no caso do governo de Lula, tal formato era corrompido. Ele diz que o presidente aceitava indicações para cargos públicos em troca de apoio e que “as indicações valiam propinas”. O procurador diz que o ex-presidente da República “tinha papel central no esquema”.

Dallagnol afirma que sem o aval de Lula os diretores da Petrobras não teriam capacidade de autorizar as propinas. “Conclusão inequívoca: Lula era o elo comum entre o esquema partidário e o esquema de governo”, diz ele sobre o que chama de um esquema criminoso de “macrocorrupção”, no qual empresas eram cooptadas pelo governo federal para participar de contratos públicos em troca de propinas.  
Postar um comentário

Indenização por morte em acidente de trabalho

Confira os 2 tipos de indenização a que têm direito os parentes de funcionário que morre após acidente de trabalho. A indenização por dan...