quinta-feira, 23 de março de 2017

Eduardo Cunha pode ficar 'imprevisível' se continuar preso

Advogados esperam agora decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre pedido de habeas corpus

Depois de ter o pedido de habeas corpus negado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso desde outubro passado por citações na Operação Lava Jato, agarra-se à possibilidade de ter o recurso que garantirá sua liberdade provisória aprovado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Se continuar preso na cadeia da Polícia Federal do Paraná, a reação do ex-presidente da Câmara dos Deputados será "imprevisível", declarou um dos advogados de defesa à colunista Mônica Bergamo. "Se perder e continuar preso, ele vai surtar", garantiu membro da equipe de advogados.
Acusado de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas na Lava Jato, Cunha viu o pedido de habeas corpus ser negado pela Quinta Turma da Corte, nesta terça-feira (21), por unanimidade. Os advogados dele argumentaram não haver motivos para que o decreto determinasse a prisão de Cunha para encaminhar o mesmo pedido ao STF.
Tadinho!!!!!

quarta-feira, 22 de março de 2017

Falta de licença atrasa plataforma no maior campo de petróleo do país

A Petrobras não comenta o assunto, mas a reportagem apurou que há críticas internas com relação à demora na liberação da licença


Pronta para operar desde quinta-feira (16) no maior campo de petróleo do país, a plataforma P-66, da Petrobras, está parada à espera de licença de operação do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis).
Considerando a capacidade de produção atual da unidade, de 30 mil barris por dia, e o preço do petróleo no mercado internacional, o prejuízo gira em torno de US$ 1,5 milhão por dia.
A Petrobras não comenta o assunto, mas a reportagem apurou que há críticas internas com relação à demora na liberação da licença. Já o Ibama diz que a estatal entregou apenas na semana passada informações complementares pedidas pela área de licenciamento e que o processo está dentro do cronograma previsto.
A P-66 deixou o estaleiro Brasfels, em Angra dos Reis, em fevereiro, a caminho do campo de Lula, na Bacia de Santos. A expectativa da estatal era produzir o primeiro óleo da unidade ainda no fim da semana passada.
A unidade tem capacidade para produzir até 150 mil barris de petróleo por dia, mas o crescimento da capacidade dependerá da conexão de novos poços.
Será a sétima plataforma do campo de Lula, o maior do país, que produziu em janeiro 730 mil barris de petróleo por dia -o equivalente a 27% da produção nacional.
De acordo com nota enviada pelo Ibama, "a Petrobras apresentou somente na semana passada as informações complementares solicitadas pela Diretoria de Licenciamento Ambiental do Ibama. Em seguida, equipes técnicas do Instituto se reuniram com representantes da empresa para sanar eventuais dúvidas relativas ao processo e a análise continua dentro do cronograma previsto internamente." 
fonte: Folhapress.

Romário apoia a PEC que dá fim ao foro privilegiado para crimes comuns

Senador sublinhou que poucos processos contra políticos no Supremo Tribunal Federal resultam em condenações

O senador Romário (PSB-RJ) criticou em Plenário o foro privilegiado, que, para ele, é usado como artifício para burlar a Justiça. Ele sublinhou a importância do princípio constitucional da igualdade diante da lei. Para ele, a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, contribui para revelar os privilégios usados por quem quer escapar dos crimes.

Romário sublinhou que poucos processos contra políticos no Supremo Tribunal Federal resultam em condenações, e registrou o expressivo apoio popular à proposta de emenda à Constituição (PEC) 10/2013, que extingue o foro especial por prerrogativa de função nos casos de crimes comuns.
O senador apoiou a prioridade na tramitação dessa PEC, que já foi aprovada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). As informações são da Agência Senado.
"Ainda há tempo de fazer essa mudança antes da próxima eleição e impedir que nossa democracia seja colocada a serviço de quem só pensa em escapar das grades, manipulando o povo já cansado de tanta mentira", disse.

terça-feira, 21 de março de 2017

Lindbergh quer antecipar nome de Lula como candidato em 2018

É o verdadeiro papagaio de pirata.

"Lula é o nosso grande nome, nossa grande liderança", afirmou o senador do PT


O senador Lindbergh Farias (RJ) é um dos pré-candidatos a presidência do PT e defende que a candidatura do ex-presidente Lula (PT) à presidência da República seja lançada já no mês de abril.
"Não aceito discutir alternativa ao Lula. Nosso plano A, B, C, D, E, F, G e H é o Lula. Até porque se tentarem impedir a candidatura do Lula estão de uma vez por todas dizendo pro mundo que nós não vivemos mais em uma democracia", afirmou nesta terça-feira (21).
De acordo com o Jornal do Comércio, Lindbergh quer que o nome de Lula como candidato já seja anunciado pois avalia que o governo do presidente Michel Temer (PMDB) enfrenta "cada vez mais adversidades".
"Lula é o nosso grande nome, nossa grande liderança. Ele acha um erro assumir um cargo no partido. Ele tem que ser presidente", disse o senador.
O nome de Lula seria lançado em junho, durante o 6º Congresso Nacional do PT. No entanto, Lindbergh acredita que adiantar o lançamento permitiria ao petista rodar o País.
fonte: www.noticiasaominuto.com.br

'RJ dobrou o joelho', diz Janot durante devolução de dinheiro repatriado pela Lava Jato ao RJ

Referindo-se a corrupção, procurador-geral de Justiça afirma que 'quando o Rio dobra o joelho, o Brasil dobra'. Ele lembrou que recursos recuperados pagaram 13º de aposentados.


O Procurador-geral da República Rodrigo Janot participou nesta terça-feira (21) da cerimônia de devolução ao estado do Rio de R$ 250 milhões repatriados nas investigações sobre o esquema de desvio de recursos que, segundo o Ministério Público, era liderado pelo ex-governador Sérgio Cabral. O encontro foi aberto por um discurso de Janot apontando os malefícios que os esquemas de corrupção causam no Rio e no Brasil.
A cerimônia começou por volta das 15h na sede do Tribunal Regional Federal, no Centro do Rio. Além de Janot, parciciparam a superintendente da Receita Denise Esteves Fernandes; o desembargador Paul Erik; o procurador-geral do Estado Leonardo Spindola e o superintendente da Polícia Federal no Rio, Jairo Santos.
O valor foi utilizado esta semana para o pagamento do 13º salário de 2016 de cerca de 146 mil aposentados e pensionistas do estado. O contingente representa 57% dos aposentados e pensionistas do estado com 13º atrasado, todos com vencimento até R$ 3,2 mil.
"A vida é feita de sinais. Esse dinheiro (R$ 250 milhões) para 147 mil famílias. A sociedade não suporta mais este tipo de atuação. O Estado do Rio atravessa uma crise política e ética. Estado que é símbolo do país. Esse estado dobrou o joelho. E quando o Estado do Rio dobra o joelho, o Brasil dobra", diz Rodrigo Janot.
"Esse ato hoje é um sinal para mostrar que as instituições funcionam. Através de um trabalho cooperado fazem frente a uma deslavada corrupção. Um sinal para a população é que a institucionalidade reage de forma legal. Esse dinheiro volta para onde nunca devia ter saído. Para os cofres públicos", completou Rodrigo Janot.
Para o procurador-geral do Estado do Rio, Leonardo Spindola "os recursos viabilizados pela Força-tarefa da Lava-Jato servirão para superar os tempos difíceis que vivemos".
Um acordo de colaboração premiada realizado com dois dos réus permitiu a repatriação de US$ 85.383.233,61 provenientes das contas Winchester Development SA, Prosperity Fund SPC Obo Globum, Andrews Development SA, Bendigo Enterprises Limited e Fundo FreeFly, valor devolvido aos cofres do Estado. As investigações revelaram até o momento que mais de R$ 300 milhões foram movimentados no exterior pela organização criminosa.




fonte: G1.com


Estes são os países mais felizes do mundo

No Dia Internacional da Felicidade, relatório revela que a felicidade de um povo não está ligada apenas ao crescimento econômico.


São Paulo – A Noruega é o país mais feliz do mundo, segundo Relatório da Felicidade no Mundo 2017. O país desbancou a Dinamarca, que reinava na primeira posição deste ranking desde 2014.
Esse relatório é produzido anualmente pela Organização das Nações Unidas (ONU) em associação com o instituto de pesquisas Gallup e diferentes universidades, como a Universidade Oxford (Reino Unido) e a Universidade da Columbia Britânica (Canadá). O estudo foi divulgado nesta segunda-feira (20), o Dia Internacional da Felicidade.
Produzido desde 2012, o ranking avaliou os níveis de felicidade das populações de 155 países com o objetivo de mostrar ao mundo e aos líderes a necessidade de os governos pensarem em políticas públicas que privilegiem o bem-estar e que o Produto Interno Bruto (PIB) de um país não é, por si só, um indicador da qualidade de vida.
Por essa razão, a pesquisa leva em conta fatores no cálculo do índice da felicidade, além do PIB per capita: a expectativa de vida (considerando os anos em que uma pessoa se mantém saudável), o apoio social que as pessoas têm do governo, confiança nas instituições públicas, a percepção de liberdade e a generosidade.

Caso de sucesso: Noruega

Na visão dos pesquisadores, a Noruega é um caso de sucesso na edição 2017 do estudo. Isso porque, embora a economia do país tenha sofrido com as quedas nos valores dos barris de petróleo como tantos outros, a percepção de felicidadeda sua população o levou direto ao topo.
E esse avanço aconteceu justamente pelo histórico norueguês de investir no futuro, invés do presente e isso impactou diretamente no sentimento positivo que os noruegueses tem em relação ao governo e a confiança nas instituições públicas.
A experiência da Noruega, explicam os pesquisadores, mostra que a felicidade das pessoas importa mais do que a renda. Melhorar os cofres públicos é bom, evidentemente, mas o que um país resolve fazer com o dinheiro que ganha é ainda melhor.

Países mais felizes

Apesar de a Noruega ocupar a primeira colocação do ranking, os países que estão nas dez primeiras posições obtiveram pontuações muito similares. 

Menino dá tapa em coleguinha e ensinamento da mãe viraliza na web

Isso sim é um exemplo para esse País que anda tão desmoralizado

O texto escrito pela mãe do menino é tratado como um apelo para que outras mães deem a seus filhos lições de respeito a mulheres

A mãe de um menino de cinco anos contou nas redes sociais a história protagonizada pelo seu filho que deu um tapa em uma coleguinha na escola e como ela tratou o caso. Tudo começou quando a professora do pequeno Otávio enviou um bilhete à mãe informando que o menino agrediu a garota.
A forma como Lucielle Prado de Moraes chamou a atenção do filho viralizou na web e acendeu a discussão sobre a maneira como as mães ensinam os seus filhos.
Lucielle contou que decidiu conversar com o Otávio sobre o ocorrido. "O chamei pra conversar e ouvi o que ele tinha a dizer sobre o acontecido (...) Ele me contou com a voz envergonhada e a cabeça baixa, palavra por palavra que a professora havia escrito e disse: "Mas, eu já pedi desculpa Mamãe! Ela me desculpou."E foi aí que eu explique a ele, como um homem de verdade deve tratar uma mulher.Expliquei na linguagem dele que as coleguinhas são como princesas e os príncipes devem protege-las, nunca machuca-las.Como ele sempre vai à faculdade comigo, perguntei se ele gostaria que um colega me batesse e ele arregalou os olhos assustados e disse: "Nãaao, mamãe!"Eu o lembrei que eu sou uma mulher, as tias, as avós, assim como as coleguinhas seriam um dia e escrevemos juntos essa cartinha para ele entregar, como forma de desculpa".
A conversa de mãe e filho resultou num pedido de desculpas escrito pelo pequeno: "Me desculpe por ter dado um tapa na sua mão. Eu aprendi com a minha mãe que não devemos bater nos nossos coleguinhas e que um homem nunca machuca uma mulher. Nunca mais vou fazer isso. Por favor me desculpe. Otávio", escreveu o menino no bilhete para entregar à colega.
Junto com a mensagem, Otávio entregou um saquinho com muitos doces.
O texto de Lucielle é tratado como um apelo para que outras mães deem a seus filhos lições de respeito a mulheres. "A atitude que ele terá no futuro é a mesma que eu ensinar agora e nós, mães de meninos temos o dever de preparar nossos filhos para tratar uma mulher como ela merece. Se você reclama do seu marido, pai ou irmão, tenha cuidado para não ensinar o seu filho a repetir o exemplo deles. Eu tenho orgulho do HOMEM que meu filho será, não por ama-lo incondicionalmente, mas pelos princípios e pela educação que dou a ele", completou a mãe.
fonte: www.noticiasaominuto.com.br

Hong Kong proíbe a importação de carne brasileira

Veto é temporário; os EUA e outros países disseram que iriam aumentar as inspeções


Hong Kong se tornou o mais recente país a proibir a importação de carne brasileira após a operação Carne Fraca da Polícia Federal levantar questões sobre a segurança da indústria de carne do país.

"Tendo em vista que a qualidade da carne exportada do Brasil é questionada, por prudência, o Centro de Segurança Alimentar suspendeu temporariamente a importação de carnes congeladas e refrigeradas e carne de aves do Brasil com efeito imediato", informou a agência em comunicado.
Um porta-voz da agência disse que continuará a manter contato com as autoridades brasileiras para obter informações detalhadas para futuras avaliações.
Hong Kong, que é um grande importador de carne brasileira, é o mais recente país a proibir a importação de carne. A China, o Egito, o Chile, além da União Europeia, anunciaram na segunda-feira medidas para proibir temporariamente as importações do Brasil ou de empresas específicas acusadas pela Polícia Federal de subornar funcionários sanitários por certificados de saúde. Os EUA e outros países disseram que iriam aumentar as inspeções.
Tanto a JBS quanto a BRF têm negado a venda de carne ruim ou de subornar funcionários. 
Fonte: Dow Jones Newswires. Com informação do Estadão. 

Desembargador revoga prisão domiciliar para Adriana Ancelmo

Juiz havia concedido à mulher de Sérgio Cabral, ex-governador do Rio, o direito de responder ao processo no apartamento do casal, no Leblon

Adriana Ancelmo, mulher de Sérgio Cabral, vai continuar presa no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu. Atendendo a um recurso do Ministério Público Federal (MPF), o desembargador Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, revogou nesta segunda-feira (20) a prisão domiciliar da ex-primeira-dama do Rio, contrariando o despacho da última sexta-feira (17) do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal Federal.

De acordo com informações do portal G1, o juiz concedeu a ex-primeira-dama o direito de responder ao processo no apartamento do casal, no Leblon, Zona Sul da capital fluminense, levando em consideração que os filhos do casal, de 11 e 14 anos, não poderiam ficar sem a presença dos pais, já que Cabral também está detido. Para tanto, a residência não poderia ter telefone ou internet. 
No entanto, os procuradores do MPF consideraram que seria difícil realizar essa fiscalização e demonstraram receio de que Adriana Ancelmo pudesse movimentar o patrimônio oculto de Sérgio Cabral.
A ex-primeira-dama do Rio de Janeiro foi presa no dia 6 de dezembro, acusada de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa pela força-tarefa da Lava-Jato no Rio. 
Um pouquinho de bom senso não faz mal a ninguém!!!

Eduardo Paes e Pedro Paulo estão na ‘lista de Janot’

Ex-prefeito do Rio de Janeiro e o candidato que ele escolheu para sucedê-lo estão entre os alvos de pedidos de investigação

O ex-prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e deputado federal Pedro Paulo, que foi candidato escolhido pelo PMDB para a sucessão do primeiro na prefeitura da capital fluminense, estão entre os alvos de pedidos de investigação enviados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao STF.
De acordo com o jornal O Globo, ainda não se sabe se o ex-prefeito e o deputado derrotado no pleito do ano passado estão em um mesmo pedido de inquérito ou se serão investigados separadamente. A dupla foi citada na delação dos executivos da Odebrecht.
As assessorias de Paes e Paulo disseram que eles não vão se pronunciar, pois desconhecem o teor do pedido de investigação.
fonte: www.noticiasaominuto.com.br

segunda-feira, 20 de março de 2017

Ruralistas defendem ministro e criticam PF na condução da Carne Fraca

KKKKKKKKKKKKKK !!!!
nem vou comentar... queria que eles fosse a favor de quem??? 

Artistas do mundo do rock lamentam morte de Chuck Berry

Lenda da música mundial faleceu na noite deste sábado (18)


Uma das maiores lendas do rock mundial, o norte-americano Chuck Berry, faleceu na noite deste sábado (18), aos 90 anos, informou a polícia de St. Charles, no Missouri.

"O departamento de polícia do condado de St. Charles infelizmente tem de confirmar a morte de Charles Edward Anderson Berry Senior, melhor conhecido como o lendário músico Chuck Berry", publicou a notícia. Segundo informações das autoridades, os policiais foram chamados à residência do cantor, mas ele já não apresentava os sinais vitais.

Charles Edward Anderson Berry é considerado um dos "pais" do rock e um dos primeiros a tocar com maestria o ritmo musical.
Com influências do blues, fundou o "The Chuck Berry Trio" em 1955, que já teve o primeiro sucesso "Maybellene" na lista das músicas mais tocadas nos EUA naquele ano. Desde então, compôs e apresentou sucessos "eternos" para a mússia mundial.
"Roll over Beethoven", "Johnny B. Goode", "Rock And roll music", "School day", "Carol", "Memphis Tennessee" e "Too much monkey business" são alguns dos maiores sucessos do artista, que viu bandas como os Beatles e os Rolling Stones regravarem muitas das suas versões.
Pelas redes sociais, alguns dos maiores músicos globais lamentaram a morte da "lenda do rock".
"Estou muito triste. Quero agradecê-lo por toda a música que nos deu de presente. Ele iluminou os anos da minha adolescência, deu vida aos nossos sonhos de nos tornar músicos e de estar no palco", escreveu no Twitter Mick Jagger.
"Apagou-se uma das minhas maiores luzes", disse Keith Richards enquanto Bruce Springsteen disse que "Chuck Berry foi o maior roqueiro, guitarrista e compositor de rock que já existiu".
Ringo Starr, ex-Beatles, também lamentou a morte e escreveu "Paz e Amor, Sr. Rock and Roll". Já Brian Wilson, dos Beach Boys, disse que a morte do músico "fará falta para todos aqueles que amam o rock'n'roll".
Quem também usou as redes sociais para homenagear Chuck Berry foi Lenny Kravitz, que afirmou que "nós não estaríamos aqui se não fosse por ele". Keith Urban aproveitou para agradecer "pela poesia, pela paixão e pela potência" da carreira do norte-americano. (ANSA)

sexta-feira, 17 de março de 2017

JBS (Friboi e Seara) e a BRF (Sadia e Perdigão) - Gravações mostram 'técnicas' para venda de carnes podres

Quando você acha que já viu tudo...





"Pode usar sossegado, não tem cheiro de azedo", diz um dos sócios do frigorífico em áudio


Gravações telefônicas interceptadas pela Polícia Federal mostram um esquema de venda de carnes podres de frigoríficos brasileiros para o mercado doméstico e externo.
A operação "Carne Fraca", deflagrada nesta sexta (17) pela PF, investiga uma suposta organização criminosa liderada por fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura, que, com o pagamento de propina, facilitavam a produção de produtos adulterados, emitindo certificados sanitários sem fiscalização.
Alguns dos maiores frigoríficos do país, como JBS, BRF e Seara são alvo da operação. O ministro da Justiça, Osmar Serraglio, também aparece na investigação em uma conversa interceptada com o suposto líder do esquema criminoso, o qual chama de "grande chefe". A PF, no então, não vê irregularidades na atuação do ministro.
Frigoríficos menores também aparecem na investigação, como o Peccin, com sede no Paraná. Em uma das conversas interceptadas, um dos donos da empresa e a mulher discutem o uso de carne de cabeça de porto em linguiças, o que é proibido pela legislação.
Em outra gravação, os sócios do frigorífico discutem como reaproveitar um presunto que, embora podre, "não tem cheiro de azedo", e por isso poderia ainda ser vendido. Em outra, combinam adicionar ácido sórbico a amostras de carne enviadas para análise de qualidade para que elas não sejam reprovadas pela fiscalização.
A reportagem não conseguiu entrar em contato com a empresa.
VEJA AS TRANSCRIÇÕES
- Conversa entre os irmãos Normélio Peccin e Idair Piccin, sócios do frigorífico Peccin:
Normelio - Tu viu aquele presunto que subiu ali ou não chegou a ver?
Idair - Ah, eu não vi; Cheguei lá, mas o Ney falou que tá mais ou menos. Não tá tão ruim.
Normelio - Não, não tá. Fizemos um processo, até agora eu não entendo, cara, o que é que deu naquilo ali. Pra usar ele, pode usar sossegado, não tem cheiro de azedo, nada, nada, nada.
- Conversa entre Idair Piccin e a mulher, Nair Piccin, sua mulher:
Idair - Você ligou?
Nair - Eu, sim eu liguei. Sabe aquele de cima lá, de Xanxerê?
Idair - É.
Nair - Ele quer te mandar 2.000 quilos de carne de cabeça. Conhece carne de cabeça?
Idair - É de cabeça de porco, sei o que que é. E daí?
Nair - Ele vendia a 5, mas daí ele deixa a 4,80 para você conhecer, para fechar carga
Idair - Tá bom, mas vamos usar no que?
Nair - Não sei
Idair - Aí que vem a pergunta né? 'Vamo' usar na calabresa, mas aí, é massa fina é? A calabresa já está saturada de massa fina. É pura massa fina
Nair - Tá
Idair - Vamos botar no que?
Nair - Não vamos pegar então?
Idair - Ah, manda vir 2.000 quilos e botamos na linguiça ali, frescal, moída fina
Nair - Na linguiça?
Idair - Mas é proibido usar carne de cabeça na linguiça
Nair - Tá, seria só 2.000 quilos para fechar a carga. Depois da outra vez dá para pegar um pouco de toucinho, mas por enquanto ainda tem toucinho [ininteligível]

... Deve ser por isso que temos esses políticos.

Parabéns!!! Lava Jato. Parabéns!!! Flávio Turquino


quinta-feira, 16 de março de 2017

Processo de venda da BR Distribuidora terá de começar do zero

A determinação foi anunciada ontem pelo Tribunal de Contas da União (TCU), após quase quatro de meses de paralisação nas negociações, por conta de uma liminar apresentada pela corte de contas


O processo de venda da BR Distribuidora, considerada a "joia da coroa" dos negócios que a Petrobras pretende vender, terá que ser reiniciado do zero. A determinação foi anunciada ontem pelo Tribunal de Contas da União (TCU), após quase quatro de meses de paralisação nas negociações, por conta de uma liminar apresentada pela corte de contas.

Em dezembro de 2016, o TCU freou os processos de venda de ativos da Petrobras, para que a estatal refizesse a metodologia de venda desses negócios, considerada pouco transparente. O tribunal concluiu que os procedimentos poderiam ferir diretrizes da lei de licitações e favorecer atos ilícitos e, por isso, determinou uma série de correções à estatal antes de a retomada ser novamente avaliada e autorizada.

Na decisão, o TCU permitiu o andamento de apenas cinco negócios, levando em conta a necessidade de caixa da companhia. Três deles foram concluídos e outros dois estão agora em vias de serem fechados. As negociações envolvendo a BR Distribuidora, no entanto, que já está nos planos de "desinvestimento" da estatal desde 2015, terão que recomeçar.
Os planos atuais da petroleira preveem a venda de 51% do controle da BR Distribuidora, de modo que a Petrobras manteria 49% do capital votante e a maioria do capital social desta sociedade.
No passado, a empresa já tinha planejado vender uma fatia menor, de no máximo 25%, mas mudou de ideia e decidiu ampliar a oferta por falta do interesse do mercado na aquisição de uma fatia minoritária.
No fim do ano passado, a 3.ª Vara da Justiça Federal em Sergipe determinou, por meio de liminar, que a Petrobras e a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis suspendessem a venda da empresa. Na ação, empresários petroleiros acusaram a estatal de infringir a legislação ao planejar fazer o negócio sem realizar licitação. À Justiça, a Petrobras disse que pode atuar em regime de livre competição.
Interessados
Em novembro de 2016, a Itaúsa confirmou interesse em comprar a fatia da BR, em parceria com as empresas Brasil Warrant Administração de Bens e Empresas e a Cambuhy Investimentos. O segmento de conveniência da BR Distribuidora, que tem a marca BR Mania, também despertou o interesse da GP Investimentos e da Lojas Americanas. A lista de interessados inclui ainda o fundo americano de investimentos Advent e a comercializadora de commodities holandesa Vitol.
Com a decisão do TCU, o jogo recomeça para todos os interessados atuais e futuros. Além de rever as regras para a oferta, a Petrobras terá que seguir a mesma cartilha para os demais empreendimentos que fazem parte de sua lista vendas.
Dos cinco empreendimentos da empresa que estavam em negociações avançadas no fim do ano passado, três já foram concluídos. Pela decisão do ministro relator do processo no TCU José Múcio, a estatal poderá dar andamento a apenas dois negócios que estão em vias de serem fechados.
Vendas
Definida a nova metodologia de desinvestimento pelo TCU, a Petrobras reafirmou a intenção de se desfazer de US$ 21 bilhões em ativos até o fim de 2018. Em comunicado ao mercado, a empresa afirmou que a decisão do TCU "é fundamental para que a companhia possa seguir em frente com seu plano de parcerias e desinvestimento, que é considerado um dos pilares para o alcance da meta de redução da alavancagem". 
fonte: jornal O Estado de S. Paulo.

Oferta de petróleo avança à medida que Opep e outros ampliam produção

Em relatório mensal, a AIE, que presta consultoria sobre políticas de energia a países industrializados, informou que a produção da Opep cresceu 170 mil bpd no mês passado, a 32 milhões de bpd

A oferta global de petróleo teve alta de 260 mil barris por dia (bpd) em fevereiro, a 96,52 milhões de bpd, à medida que tanto a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) quanto produtores de fora do grupo ampliaram a produção, segundo a Agência Internacional de Energia (AIE).
Em relatório mensal, a AIE, que presta consultoria sobre políticas de energia a países industrializados, informou que a produção da Opep cresceu 170 mil bpd no mês passado, a 32 milhões de bpd.
Isso significa que a Opep cumpriu em fevereiro 91% de sua meta de reduzir sua produção diária em 1,2 milhão de barris, taxa que havia atingido 105% no mês anterior, segundo números revisados, explicou a AIE.
A Arábia Saudita, líder informal da Opep, registrou o maior avanço na produção do mês passado, com alta de 180 mil bpd, a 9,98 milhões de bpd. O dado de janeiro do maior exportador de petróleo do mundo foi revisado, para 9,8 milhões de bpd.
Já na Rússia, maior produtor fora da Opep, a produção ficou em 11,478 milhões de bpd em fevereiro, de acordo com estimativa da AIE. Isso significa que os russos já reduziram a oferta em 119 mil barris, o equivalente a 40% da meta de corte de 300 mil bpd.
A AIE notou, contudo, que a tendência da oferta é de alta, uma vez que a produção dos EUA atingiu 9 milhões de bpd no mês passado. O número de plataformas em operação nos EUA também cresceu, alcançando um total de 617 em março, ante a mínima de 318 registrada em maio do ano passado.
Apesar dos esforços da Opep, os estoques do grupo de países desenvolvidos que formam a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) subiram pela primeira vez em seis meses em janeiro, em 48 milhões de barris (ou 1,5 milhão de bpd), a 3,03 bilhões de barris.
Dados preliminares de fevereiro indicam uma modesta queda de 5 milhões de barris nos estoques da OCDE, a despeito de avanços recentes nos EUA.
O crescimento da demanda global por petróleo deverá desacelerar para 1,4 milhão de bpd em 2017, de 1,6 milhão de bpd em 2016. A China, que tradicionalmente influencia a demanda global, teve um fraco início de ano, devido a temperaturas baixas e menor demanda industrial, afirmou a AIE. Outros indicadores antecedentes sugerem desaceleração similar em outros países industrializados, como Japão, Alemanha, Coreia e Índia.
Fonte: Dow Jones Newswires.

Jucá quer reforma política focada só em financiamento de campanha

Então não é reforma, cara pálida, é uma alteração

Líder do governo no Senado, peemedebista evitar propostas que alterem o sistema de votações do Congresso

O senador Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Senado, apoia um modelo de reforma política que mude somente o sistema de financiamento de campanha.
De acordo com a coluna Painel, do site do jornal Folha de S. Paulo, o peemedebista não acredita que mudanças estruturais possam ser aprovadas pelo Congresso, que deve votar sobre a questão até setembro deste ano.
No entanto, na análise da colunista, o sistema de voto em lista é uma questão que muito provavelmente acabará sendo incluída no texto.
De acordo com a coluna Painel, do site do jornal Folha de S. Paulo, o peemedebista não acredita que mudanças estruturais possam ser aprovadas pelo Congresso, que deve votar sobre a questão até setembro deste ano.
No entanto, na análise da colunista, o sistema de voto em lista é uma questão que muito provavelmente acabará sendo incluída no texto.
Na manhã de quarta (15), o presidente Michel Temer se reuniu com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes e com os presidentes do Senado e da Câmara, Eunício Oliveira (PMDB-CE) e Rodrigo Maia (DEM-RJ) para discutir a questão.
Após o encontro, os quatro emitiram nota conjunta afirmando que o debate para a reforma política não busca "apagar o passado", mas "olhar com resolução para o futuro".


GASOLINA

Desde o século passado, a gasolina vem sendo o principal combustível mundial. Esta commodity global é composta basicamente por hidrocarbonetos e produtos oxigenados. Sua origem é a mesma dos demais produtos fósseis: o petróleo.
O grande crescimento do mercado mundial de gasolina foi fruto do desenvolvimento da indústria automobilística e dos processos de refino e transformação de frações pesadas. Esses processos fazem aumentar o rendimento total do produto em relação ao petróleo no estado puro (óleo bruto).
No mundo industrializado, a gasolina é um fluido vital. Apenas nos Estados Unidos são consumidos aproximadamente quinhentos bilhões de litros de gasolina por ano. Este número cresce cerca de 2,6% ao ano. Este combustível é a veia sanguínea que mantém os Estados Unidos em movimento.
Nos Estados Unidos, algo como 178 milhões de galões (675 milhões de litros) de gasolina são consumidos por dia. Segundo o Departamento de Energia dos Estados Unidos, este volume representa 45% do consumo total de petróleo consumido diariamente pelos americanos, estimado em 20 milhões de barris diários da commodity. Para comparação, o Brasil consome 1,8 milhão de barris de petróleo por dia, totalmente produzido no país, dos quais apenas 20% é usado para gasolina. A maior parte (45%) vai para o óleo diesel. O consumo brasileiro de gasolina é de pouco menos de 70 milhões de litros por dia.
Em geral, a demanda por gasolina aumenta durante o verão, quando muitas pessoas saem de férias. A alta de preços ocorre quando o mercado mundial de petróleo bruto aperta diminuindo os estoques. Às vezes, o aumento da demanda também pode exceder a capacidade da refinaria. Na primavera, as refinarias realizam manutenção, o que diminui a produção. Em geral, no fim de maio, as refinarias estão de volta com capacidade total.
Acontecimentos mundiais, guerra e clima podem também elevar os preços. Qualquer coisa que afete alguma parte do processo, desde a extração até o refino do petróleo e o fornecimento da gasolina até o seu carro vai resultar em uma mudança no preço da gasolina. Os conflitos militares em países que são grandes produtores de petróleo podem dificultar às companhias petrolíferas extrair e enviar petróleo bruto. Os furacões têm destruído plataformas de extração em alto mar, refinarias costeiras e portos de carga que recebem os navios-tanque. Se um navio-tanque se perde ou é danificado e derrama óleo no oceano, isso também é um prejuízo para o mercado.
Monitorar os preços da gasolina é como andar em uma montanha-russa: caem um pouco em um mês, sobem no próximo e acabam fechando o ano com um aumento maior que 50%.
Na atualidade, as principais Bolsas de Mercadorias que negociam contratos de gasolina são a Bolsa de Mercadorias de Nova Iorque (NYMEX), a Bolsa Intercontinental (ICE) e a Bolsa de Mercadorias de Tóquio (TOCOM).

fonte: http://br.advfn.com/commodities/gasolina.html

TCU autoriza Petrobras a retomar venda de bens

O Tribunal de Contas da União (TCU) liberou a Petrobras a retomar a venda de ativos. O plenário da corte de contas aprovou a proposta do ministro José Múcio de suspender a cautelar que desde dezembro impedia a estatal de continuar seu processo de desinvestimento.
Entretanto, o TCU decidiu determinar à Petrobras que reinicie todos os processos de venda para que eles sigam um novo conjunto de regras elaboradas pela estatal e aprovadas pelo tribunal.
Os únicos processos que podem continuar como estão são os que envolvem os bens identificados como Ópera e Portifólio 1. Esses nomes são "fantasia" - por questões comerciais, o tribunal não pode informar que ativos são esses.
Em dezembro do ano passado, o TCU proibiu a Petrobras de assinar novos contratos de venda de ativos e de iniciar novos processos de vendas até que fossem analisados os procedimentos adotados no programa de desinvestimento da estatal.
A decisão só permitia que a estatal desse continuidade às negociações para venda de cinco projetos, identificados como Paraty 1, Paraty 3, Ópera, Portifólio 1 e Sabará.
Na época, Múcio informou que a unidade técnica encontrou indícios de irregularidades na sistemática usada no procedimento de venda de ativos pela Petrobras. Uma das irregularidade é basear o processo em um decreto, o que, segundo o TCU, só pode ser usado para aquisição de bens e serviços, não para alienações.
Até junho do ano passado, segundo o TCU, a Petrobras havia concluído 27 negócios, que totalizaram aproximadamente US$ 10 bilhões. A projeção da empresa para desinvestimentos no biênio de 2015-2016 era de US$ 15,1 bilhões; para 2017-2018, a previsão é de US$ 46,2 bilhões.
Fonte: G1

A "reforma"​ da Previdência é ineficiente, imoral e inútil

O governo diz que o déficit da Previdência este ano será R$ 149,7 bilhões de reais. É mentira. É uma ficção contábil que tem dois objetivos: garantir aos bancos e especuladores o pagamento dos juros mais altos do planeta, e privatizar a previdência no Brasil. Não tem nada a ver com viabilizar a aposentadoria dos brasileiros no futuro. Nem com “fechar as contas”. Não se trata de ser a favor ou contra Temer, não tem nada a ver com Dilma, não é questão partidária. É questão de matemática. De justiça. E de levarmos a sério o futuro do país.
Primeiro: não há porque a Previdência “fechar as contas”. É como dizer "a conta da escola pública não fecha". Ou "a conta de aplicar vacina em bebês não fecha". Não é para fechar, muito menos para “dar lucro”. A vida das pessoas não é um negócio. Aposentadoria não é um custo. É um reinvestimento do imposto na própria sociedade que pagou o imposto. Investimento no bem-estar dos brasileiros, que deve ser prioritário, acima de qualquer outro. Com impacto direto na saúde, na educação, na segurança.
Segundo: a "reforma" é ineficiente. Se o governo quiser de fato botar as contas do país no azul, precisa é pagar menos juros e aumentar a arrecadação. O Brasil pagará mais de R$ 500 bilhões de juros esse ano! Derrubar os juros deveria ser a prioridade zero deste e qualquer outro governo, mas sempre encontram uma razão para que eles continuem nas alturas. Quem sabe é porque nossos governos sempre terceirizam a administração da economia para funcionários dos bancos, Meirelles, Ilan, Levy etc. Afinal, são os próprios bancos os maiores credores do governo, e são os bancos que ficarão com a maior parte desses R$ 500 bilhões.
Quanto a aumentar a arrecadação, ajudaria bem acabar com tanta desoneração e tanta sonegação, inclusive os sonegadores da previdência. Ajudaria cobrar o que as empresas devem para o governo. E aproximar dos padrões internacionais o imposto de renda e o imposto de herança, e, como se faz em todo o mundo, taxar os dividendos que as empresas pagam a seus acionistas. Nossa elite é a menos taxada do planeta.
Terceiro: o brasileiro normal, os 99% de nós que pouco apitamos, paga imposto pra caramba. Quanto mais pobre, mais paga, proporcionalmente, porque tudo que a gente compra embute imposto, do feijão ao remédio à eletricidade, todos os produtos e todos os serviços. Essa grana deveria ser reinvestida na própria população, e não em pagar juros e outras tantas bandalheiras. É imoral Meirelles e companhia dizer que não há dinheiro pra nossos velhos, quando existe dinheiro para construir estádios bilionários (que hoje estão apodrecendo), enriquecer empreiteiros corruptores e toda aquela lista de sujeiras que estamos cansados de saber.
Quarto: se aprovada essa lei, todo mundo que tiver o mínimo de condição vai para a previdência privada. O que o governo vai exigir pra gente se aposentar vai ser muito difícil de cumprir, e em troco de uma porcaria de dinheiro na velhice. A economista Denise Gentil, da URFJ, levantou um número impressionante: entre janeiro e outubro de 2016, os bancos venderam 21% a mais de planos nos fundos privados. Isso só por causa da perspectiva de aprovação dessa nova lei. Aprovada, vai gerar um lucro gigante para os bancos.
Finalmente, é inútil qualquer mudança na Previdência que não leve em consideração as projeções para o mercado de trabalho nas próximas décadas. Essa proposta do governo vai na exata direção contrária do que há de mais moderno em termos de política social: a Renda Mínima. Ou, como se fala em inglês, Universal Basic Income, UBI. Trata-se de simplificar a burocracia e dar dinheiro diretamente para os cidadãos. Em vez de um monte de programas para combater a pobreza, um chequinho todo mês.
É a discussão do momento nos círculos mais informados, da direita, da esquerda, do libertário Vale do Silício à vanguarda futurista-socialista da Europa. Está sendo testada, de diversas maneiras, em diversos lugares do mundo. Em vez do governo pegar o imposto que o povo paga, e emprestar a juro amigo para os empresários "gerarem emprego", a Renda Mínima ataca o problema direto na veia. Do berço ao túmulo. Uma graninha garantida que garante sua sobrevivência, e não muito mais que isso. Quer algum luxo, tem que trabalhar.
A Terra vai ganhar dois bilhões de pessoas nas próximas três décadas. Com a tecnologia destruindo empregos no ritmo atual, há quem diga que metade –metade! – dos empregos que existem hoje não existirão em 2050. Simplesmente não vai ter gente suficiente na força de trabalho para bancar os aposentados.
Isso não precisa ser um problema, e precisa ser uma solução. Se computadores e máquinas fazem o trabalho, melhor pra gente – SE, e esse se é a chave, esse ganho de produtividade for dividido de maneira equânime entre todos nós, e não concentrado nos bolsos dos donos do capital. Eles não vão abrir mão de lucros cada vez maiores, claro. Se dependesse dos donos do dinheiro e do poder, não teria sido nem abolida a escravidão, muito menos existiria voto, salário mínimo etc. e tal.
É utopia? Bem, o Brasil vai pagar esse ano mais de R$ 500 bilhões em juros. Se em vez disso, a gente pegasse essa grana e dividisse igualmente por 205 milhões de brasileiros, cada um levaria R$ 2440 por ano, uns duzentos reais por mês. Parece pouco? É mais que o Bolsa Família, que comprovadamente tirou milhões de pessoas da miséria.
Vamos olhar de outra maneira. O salário médio do brasileiro é menos de dois mil reais. O salário mínimo é R$ 937. E de cada três aposentados, dois ganham isso, o mínimo, R$ 937. Então o impacto de um programa de Renda Mínima como esse seria gigantesco. E seria para todos os brasileiros, inclusive crianças. Em uma família de quatro pessoas, somaria quase dez mil reais por ano!
Estamos muito longe de tomarmos para nós os recursos públicos, que são nossos por direito? O sábio lá dizia que toda jornada começa com um primeiro passo. “Direito” não é uma coisa que possa ser dada. Direito é sempre conquistado, tomado, arrancado na marra. E é seu enquanto você conseguir defende-lo. Os brasileiros têm pouquíssimos direitos, e o governo de Michel Temer quer tirar esse pouco que temos. Resistir e derrotar a proposta de Temer é só o primeiro passo. Avançar para um novo modelo, de Renda Mínima, é o passo seguinte e necessário.

Pena contra trabalho escravo deve ser maior, defende Raquel Dodge

Procuradora-geral falou na abertura de um seminário, em Brasília, sobre a sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos, que em deze...