quarta-feira, 22 de junho de 2011

Se Liga, Senhores!!!

Isso parece uma piada e de muito mau gosto.


O vereador Vitor Jr. está a serviço de quem???? Esse "senhor" deu entrada no seguinte projeto de Lei na Câmara de Niterói.

Câmara Municipal de Niterói


Gabinete do Vereador VITOR JUNIOR - PT


Projeto de Lei nº 000146/2011


ALTERA O ART. DA LEI Nº QUE DISPÕE SOBRE PARÂMETROS URBANÍSTICOS PARA AS INSTALAÇÕES DE INDÚSTRIAS E ATIVIDADES AFINS NAS FRAÇÕES COMPREENDIDAS COMO ÁREA DE ESPECIAL INTERESSE ECONÔMICO.


A CÂMARA MUNICIPAL DE NITERÓI RESOLVE:


Art. 1º - O do art. da Lei nº passa a vigorar com a seguinte redação:


Parágrafo Único – São vedadas instalações e as seguintes atividades:


a) Ampliação de base para apoio para atividades offshore;


b) Instalação de planta de armazenamento de combustíveis;


c) Estocagem de combustíveis, materiais inflamáveis e de risers;


d) Estocagem, armazenamento e manuseio de materiais de apoio a plataformas através de PSV’s;


e) Instalação de guindastes de grande porte, pórticos para carga e descarga, manuseio de equipamentos e materiais destinados a embarque e desembarque em embarcações de apoio a plataformas.


Art. 2º - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.


Câmara Municipal de Niterói, 13 de maio de 2011. VITOR JUNIOR MILTON CARLOS


Vocês podem acreditar num projeto desses.

Todas as prefeituras do Brasil querendo receber os royalties do petróleo e esse "senhor" faz um projeto de Lei desses. Confesse logo o senhor está a serviço de quem???
O que o "senhor" classifica de ÁREA DE ESPECIAL INTERESSE ECONÔMICO???


Achás mesmo que os niteroienses são otários. Vá criar leis mais importantes como destinação de verbas para os hospitais da cidade seu IDIOTA!!!!!!

terça-feira, 21 de junho de 2011

Nova Coluna

A Partir de amanhã estreia a coluna Se Liga Senhores!!! Tratando sempre de um assunto polêmico. Aguardem!!!!

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Petrobras e Exxon realizam maior descoberta em 10 anos no Golfo do México

A Petrobras informou ontem, no fim do dia, duas importantes descobertas de petróleo e uma descoberta de gás em águas ultraprofundas na área de Hadrian, na concessão Keathley Canyon, na porção norteamericana do Golfo do México. A estimativa é de que haja um volume recuperável superior a 700 milhões de barris de óleo equivalente na região, configurando uma das maiores descobertas realizadas no Golfo do México na última década. De acordo com a estatal, "avaliações preliminares acenam para a existência de um importante conjunto de descobertas de hidrocarbonetos nessa região."


A Petrobras América, subsidiária da estatal brasileira, detém 50% de um bloco e 25% em outros três, no projeto operado pela ExxonMobil. A Eni Petroleum US LLC participa com os 25% restantes. As acumulações estão localizadas a cerca de 400 km a sudoeste de Nova Orleans, em uma profundidade de água de aproximadamente 2,1 mil metros. A descoberta ocorreu através da perfuração do poço KC 919#3, no bloco KC 919, e confirmou uma acumulação de petróleo com mais de 144 metros de espessura de reservatório. Objetivos mais profundos ainda serão perfurados.



NN - Redação

sábado, 4 de junho de 2011

P-56 produzirá 100 mil barris por dia

A Petrobras batiza hoje, em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, a plataforma P-56, construída no estaleiro BrasFELS. A cerimômia contará com a presença da presidente da República, Dilma Rousseff, e do presidente da estatal, José Sergio Gabrielli. Com capacidade para processar 100 mil barris de petróleo e comprimir 6 milhões de m³ de gás por dia, a P-56 operará no Módulo 3 de desenvolvimento do Campo de Marlim Sul, localizado na Bacia de Campos. A plataforma é uma unidade do tipo semissubmersível e ficará ancorada em local onde a profundidade é de 1.670 metros, interligada a 21 poços, dos quais 10 serão produtores de petróleo e 11 injetores de água. A estrutura tem 125 metros de comprimento por 110 de largura e 107 m de altura, vida útil de 25 anos e acomoda 200 pessoas.



Idêntica à plataforma P-51, a nova unidade de produção integra o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e é considerada, pela Petrobras, um marco na indústria naval brasileira, uma vez que alcançou o conteúdo nacional de 72,9% relativo ao topside (módulos integrados), e teve seu casco totalmente construído no Brasil. Para construí-la foram investidos aproximadamente US$ 1,5 bilhão e gerados 4 mil empregos diretos e 12 mil indiretos no país. A partir de junho, a plataforma terá sua construção finalizada e passará pela etapa de testes e ajustes finais na Baía de Ilha Grande, em Angra dos Reis. Em seguida, a P-56 será rebocada até a Bacia de Campos para ancoragem e interligação de poços. O início da produção no Campo de Marlim Sul está previsto para agosto.

Pena contra trabalho escravo deve ser maior, defende Raquel Dodge

Procuradora-geral falou na abertura de um seminário, em Brasília, sobre a sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos, que em deze...