sábado, 26 de dezembro de 2009

Petrobras lança processo seletivo para nível médio e superior, com variação salarial de R$ 1,6 mil a 5,6 mil

Redação
releases@guiaoffshore.com.br

Rio, 12:50 22/12/2009 -

A Petrobras divulgou nesta segunda-feira (21/12) edital de novo processo seletivo público. O concurso é destinado ao preenchimento de 622 vagas para 56 cargos de nível médio e superior. O edital está disponível no site da Petrobras (clique aqui) e no da Fundação Cesgranrio (www.cesgranrio.org.br).
As inscrições estarão abertas de 12 a 29 de janeiro e poderão ser feitas através do site da Cesgranrio. Para nível médio, a taxa de inscrição é de R$ 27,00. Para nível superior, R$ 40,00.
Podem concorrer candidatos de nível técnico/médio para os cargos de inspetor de segurança interna júnior, técnico de administração e controle júnior, técnico de contabilidade júnior, técnico de estabilidade júnior, técnico de exploração de petróleo júnior (eletrônica, geodésia e geologia), técnico de informática júnior, técnico de inspeção de equipamentos e instalações júnior, técnico de logística de transporte júnior (controle e operação), técnico de manutenção júnior (elétrica, eletrônica, instrumentação e mecânica), técnico de operação júnior, técnico de projetos, construção e montagem júnior (edificações, elétrica, eletrônica, estruturas navais, instrumentação, máquinas navais e mecânica), técnico de segurança júnior, técnico de suprimento de bens e serviços júnior (administração, elétrica e mecânica), técnico de telecomunicações júnior e técnico químico de petróleo júnior.
Os candidatos de nível superior podem concorrer aos cargos de advogado júnior, analista ambiental júnior (biologia e oceanografia), analista de sistemas júnior (engenharia de software, infraestrutura e processos de negócio), auditor júnior, bibliotecário júnior, contador júnior, dentista júnior, enfermeiro do trabalho júnior, engenheiro civil júnior, engenheiro de equipamentos júnior (elétrica, eletrônica, inspeção, terminais e dutos), engenheiro de meio ambiente júnior, engenheiro de produção júnior, engenheiro de segurança júnior, engenheiro de telecomunicações júnior, engenheiro naval júnior, estatístico júnior, geólogo júnior, médico do trabalho júnior, nutricionista júnior, psicólogo júnior e químico de petróleo júnior.
As provas serão realizadas em 21 cidades do país. As datas das provas e das demais etapas do concurso podem ser consultadas no edital.
A remuneração mínima inicial varia de R$ 1.647,19 a R$ 5.685,07. Entre os benefícios, a Petrobras oferece previdência complementar (opcional), plano de saúde (médico, hospitalar, odontológico, psicológico e benefício farmácia) e benefícios educacionais para dependentes, entre outros.
Até 2013, a empresa deve admitir cerca de 9 mil pessoas, com objetivo de atender às demandas do Plano de Negócios 2009-2013, que prevê investimentos de US$ 174,4 bilhões nesse período.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Deputados aprovam o regime de partilha do pré-sal

Divisão dos royalties do petróleo é o ponto mais polêmico do texto. Votação de destaques pode acontecer na próxima semana.




O Plenário aprovou nesta quarta-feira o substitutivo do deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) para o Projeto de Lei 5938/09, do Executivo, que cria o regime de partilha de produção a ser aplicado nos contratos futuros de exploração do petróleo do pré-sal. Os deputados não concluíram a votação dos destaques devido à grande polêmica sobre os critérios de divisão dos recursos dos royalties entre os estados produtores e não produtores.
Uma emenda dos deputados Humberto Souto (PPS-MG) e Ibsen Pinheiro (PMDB-RS), que não chegou a ser votada, preservava as parcelas de royalties e de participação especial da União e propunha a divisão do restante entre estados e municípios segundo os critérios dos fundos constitucionais (FPM e FPE).
Isso valeria tanto nos contratos de partilha quanto nos de concessão, mas o impasse entre governo e oposição e um possível racha dentro da base aliada levaram os líderes a concordarem com o presidente Michel Temer quanto à necessidade de adiamento da votação.
O artigo que seria incluído pela emenda entraria em conflito com outros pontos do texto já aprovado e que preveem regras diferentes para a divisão de royalties dos contratos de concessão do pré-sal e da participação especial.
Abaixo mostra como era e como ficou a divisão dos royalties do pré-sal já licitado, segundo o texto que prevalece até o momento:

Destino                  Lei atual                     Substitutivo

Estados produtores  26,25%                     26,25%

Municípios produtores 26,25%                   18%

Fundo p/ estados 8,75%                             22%

Fundo p/ municípios 8,75%

Municípios afetados pelo embarque e desembarque 8,75%                5%

Comando da Marinha 17,5%                          8%

Ministério da Ciência e Tecnologia 12,5%         12%

Total                                         100%        100%



Justiça
Para o relator Henrique Eduardo Alves, o seu substitutivo apresenta uma solução negociada que evitará ações na Justiça. Entretanto, sobre a emenda que ainda irá a voto ele disse que a Casa "é soberana para decidir” e que o objetivo não é dividir as bancadas.
Apesar da redução do percentual destinado a municípios produtores, segundo o substitutivo, eles poderão participar do rateio do fundo para todos os municípios brasileiros, segundo os critérios do FPM.
Pelo texto aprovado, isso não será possível aos estados produtores, cujos recursos a que teriam direito no fundo para todos os estados serão redistribuídos aos não produtores, com base nos critérios do FPE.


Participação especial

Contra a posição da equipe econômica do governo, o relator, que também é líder do PMDB, aceitou emenda do líder do PSB, Rodrigo Rollemberg (DF), prevendo divisão dos recursos da chamada participação especial.
Essa participação é um adicional que as petrolíferas devem pagar quando a produção atingir grande volume. Atualmente, os recursos vindos dela correspondem a cerca de 2/3 dos conseguidos com o pagamento de todas as indenizações pela exploração do petróleo.
A ideia é destinar mais dinheiro aos estados e municípios não produtores já nos próximos anos, pois os recursos dos contratos futuros de exploração do pré-sal somente serão gerados daqui a cerca de oito anos e sobre eles não haverá pagamento de participação especial.
A nova divisão refere-se apenas à participação paga sobre o petróleo já licitado do pré-sal. Pela lei vigente, metade fica com a União e metade com estados (40%) e municípios (10%) produtores.
O texto aprovado tira 15 pontos percentuais da parcela da União, direcionando 5 pontos a todos os municípios e 10 pontos a todos os estados. Da mesma forma que nas outras divisões, os estados produtores não poderão participar dessa repartição, ao contrário dos municípios produtores. Os critérios também serão os do FPM e do FPE.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Confira o trailer de "Ouro Negro" filme nacional

Demorou, mas finalmente sai um filme nacional sobre o Petróleo. Vamos torcer para que os fatos não tenham sido maquiados.

A produção nacional “Ouro Negro“, com direção de Isa Albuquerque, acaba de ganhar seu primeiro trailer.

O filme trata da aventura da descoberta do petróleo no Brasil a partir dos anos 10, e dos pioneiros idealistas. Também inspirado em fatos e personagens reais, o filme reconstitui vários episódios que culminaram com a abertura do primeiro poço produtivo no país, em Lobato, na Bahia, em 1939
Estão no elenco os atores Danton Mello, Thiago Fragoso, Maria Ribeiro, Luisa Curvo, Chico Dias, Odilon Wagner e Daniel Dantas.
Veja o trailer http://www.pipocablog.com/post/2855/2855

domingo, 6 de dezembro de 2009

Hexacampeão! Mengão levanta poeira no Maracanã!

Rubro-Negro vira para cima do Grêmio e acaba com jejum de 17 anos sem ganhar o Brasileiro

LUIZ FERNANDO PECIS RIO DE JANEIRO



Valeu a pena esperar. Depois de 17 anos, o torcedor do Flamengo nos quatro cantos do país pode encher os pulmões para gritar: Hexacampeão! Sob o comando de Pet e Adriano dentro de campo e Andrade fora dele, o Rubro-Negro conseguiu uma recuperação impressionante, que foi coroada com a vitória de 2 a 1 sobre o Grêmio neste domingo, no Maracanã. Os heróis foram os zagueiros David e Ronaldo Angelim, com Róberson descontando para o Tricolor gaúcho.
O sofrimento da torcida foi grande. Para quem esperava um Grêmio submisso, se surpreendeu quando os gaúchos prenderam a bola e começaram a tomar conta do jogo logo nos primeiros instantes.


Flamengo vence o Grêmio e é hexacampeão brasileiro

O Flamengo, talvez ansioso, talvez assustado, não conseguia acertar os passes e nas poucas saídas de bola entregava a jogada para o Tricolor. Ainda assim, Adriano ainda teve duas chances na entrada da área, mas não estava com o pé calibrado.

A postura não demorou em causar problemas em uma festa que parecia confirmada. Aos 21 minutos, Douglas Costa cobrou escanteio, a marcação parou e Róberson apareceu para dar um toque sutil e abrir o placar, para a perplexidade de todos no Maracanã.

Mas parecia que o time precisava levar o golpe para acordar. A torcida, que andava meio quieta, começou a cantar e deu gás para a reação. E na base da pressão, mesmo sem muita criatividade, o Mengão chegou ao empate. Aos 30, Pet cobrou escanteio, Adriano dividiu pelo alto e a bola sobrou para o zagueiro David mandar uma bomba sem chances para Marcelo Grohe, empatando a partida. E a virada só não veio antes do intervalo porque o goleiro gremista fez grande defesa em cobrança de falta de Adriano.

A etapa final começou equilibrada. Mas foi o Flamengo quem assustou mais e teve duas boas chances de marcar. Na primeira, Adriano cabeceou para fora com perigo. Na segunda, Airton subiu mas parou na grande defesa de Grohe. Léo Moura e Willians também criaram bom lance pela direita, mas o lateral foi desarmado antes da finalização.

Só que uma festa tão bonita merecia um final mais feliz. E ele não poderia ter uma execução mais perfeita. Pet cobrou escanteio novamente e Ronaldo Angelim, que participou de todas as conquistas recentes do clube, desviou de cabeça e causou uma explosão de felicidade no Maracanã.

Com pouco mais de 20 minutos para o fim do jogo, o Grêmio pouco ofereceu perigo e o Fla perdeu várias oportunidades de marcar o terceiro. Mas não precisava. De virada, sofrido, é muito melhor. Faz a festa, Mengão!

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 2 X 1 GRÊMIO

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Data/Hora: 6/12/2009 - 17h (de Brasília)

Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa/PR)

Auxiliares: Alessandro de Matos (Fifa/BA) e Carlos Berkenbrock (Fifa/SC)

Renda/Público: R$ 2.030.430,00/78.639 pagantes

Cartões Amarelos: David, Willians, (FLA); Douglas Costa, Marcelo Grohe, Lucio e Adilson (GRE)

Cartão Vermelho: Não houve.

GOLS: Róberson, 21'/2ºT (0-1); David, 30'/2ºT (1-1) e Ronaldo Angelim, 24'/2ºT (2-1)

FLAMENGO: Bruno, Léo Moura, David, Ronaldo Angelim e Juan; Airton, Toró (Everton, 15'/2ºT), Willians e Petkovic (Fierro, 28'/2ºT); Zé Roberto (Kléberson, 37'/2ºT) e Adriano. Técnico: Andrade.

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Mário Fernandes, Leo, Thiego e Fábio Santos; Adilson (Mithyuê, 42'/2ºT), Túlio, Maylson e Lúcio; Douglas Costa e Róberson (Bergson, 25'/2ºT). Técnico: Marcelo Rospide.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Evento no IFRJ - Instituto Federal do Rio de Janeiro



Participarei desse evento como palestrante no dia 03 de Dezembro de 2009 - às 19h.

Tristeza!!!

É com muita tristeza que venho informar a passagem para outra vida do grande GIUSEPPE BACOCCOLI. Ensinou a muita gente e deixou um maravilhoso livro repleto de "causos". O dia do Dragão.
Descance em paz grande Mestre.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Formandos do Prominp e Planseq reclamam da exigência de experiência por parte das empresas


Os formandos do Prominp e do Planseq procuraram os vereadores em busca de solução para o impasse gerado quanto às contratações para atuarem junto à P-55. Segundo eles, as empresas estão pedindo experiência para as admissões.

Falsa expectativa

Durante o encontro, o tema central foi quanto aos critérios de contratação exigidos pelas empresas terceirizadas para a P-55. Também foi discutida a maneira que os cursos de qualificação foram divulgados. Segundo os formandos, uma falsa expectativa foi criada entre os alunos: quem tivesse um dos cursos, teria seu emprego garantido. "A mão-de-obra qualificada durante a montagem da P-53 ajudou na contratação à P-55", completou Santos.
Tanto vereadores, quanto representantes do Executivo e dos trabalhadores mostraram insatisfação geral frente à exigência de experiência, uma vez que a formação é feita com dinheiro público. Caso não ocorra o aproveitamento dos alunos capacitados, haverá perda de dinheiro público. Leonardo Salum reiterou que todos os cursos foram elaborados a partir da demanda informada pelas empresas, as quais agora reivindicam experiência ao invés da capacitação proporcionada pelos cursos promovidos em Rio Grande.(Fonte: Jornal Agora/Rio Grande,RS)


http://www.portosenavios.com.br/?r&150208&link1&&m=1&sec_atual=43&cod=36812

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Número de desalojados no ES pode chegar a 10 mil

Por AE, Agencia Estado, Atualizado: 3/11/2009 10:00


O vice-governador do Espírito Santo, Ricardo Ferraço, sobrevoou ontem a cidade de Santa Leopoldina, uma das mais atingidas pelas chuvas no Estado, que ontem decretou calamidade pública. A cidade ficou isolada depois que o nível do Rio Santa Maria da Vitória subiu 6 metros e transbordou. Nos municípios mais afetados, há até 10 mil desabrigados ou desalojados.






Segundo Ferraço, choveu no fim de semana cerca de 180 milímetros, quando o normal para o mês todo seriam 120 milímetros. Além de Santa Leopoldina, a região da Grande Vitória, Icoporanga e João Neiva é a mais afetada. De acordo com a Defesa Civil, 112.150 edificações foram danificadas. Na madrugada de ontem, três casas desabaram em Cariacica, na Grande Vitória, sem deixar feridos. Desde o início dos temporais, três pessoas morreram e três ficaram feridas. O Estado avalia pedir auxílio ao governo federal, para recuperar as cidades mais afetadas.





Os bombeiros procuravam ontem um homem de 35 anos que foi arrastado pela correnteza de um córrego, na região norte de Belo Horizonte, durante as chuvas da madrugada. O rapaz foi arrastado com seu carro. No norte do Estado, a chuva forte fez três casas desabarem em Padre Paraíso. Ninguém ficou ferido. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

sábado, 31 de outubro de 2009

Polícia recupera brocas de perfuração da Petrobras

SOLANGE SPIGLIATTI - Agencia Estado


terça-feira, 20 de outubro de 2009, 10:44

SÃO PAULO - Oito brocas para perfuração de poços da Petrobras foram recuperadas ontem por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na Rodovia BR-101, na região de São Cristóvão, no Sergipe. Os equipamentos foram furtados no final de semana de uma das unidades da estatal no Estado. Os equipamentos estavam distribuídos em dois veículos de passeio que prestam serviço de táxi. As peças estão avaliadas em R$ 400 mil, informou a PRF.

De acordo com a corporação, o passageiro de um dos veículos contou aos agentes que os equipamentos estavam escondidos em um canavial no município de Japaratuba e seriam levados para uma pessoa que os aguardava próximo ao Aeroporto Internacional de Salvador, na Bahia. Funcionários da Petrobras que foram até o local alegaram que cada broca custa em torno de R$ 50 mil. Os envolvidos foram detidos e encaminhados à delegacia do município de Carmópolis.

domingo, 25 de outubro de 2009

FENASHORE 2009


Brasil antecipa em três anos adição de 5% de biodiesel ao diesel

Paula Laboissière


ABr



Brasília, 13:21 23/10/2009 - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou nesta sexta-feira (23) que a adição de 5% de biodiesel ao diesel consumido no Brasil foi antecipada em três anos. O chamado B5, que entraria em vigor apenas em 2013, já será obrigatório em janeiro de 2010.
"É um combustível menos poluente e mais gerador de empregos. Temos todas as razões do mundo para consagrá-lo. O Brasil pode se apresentar como um grande referencial mundial em conhecimento tecnológico e capacidade produtiva", disse Lula.
A expectativa, de acordo com a Presidência da República, é de que o B5 aumente a produção de biodiesel para 2,4 bilhões de litros em 2010, fortalecendo a posição do Brasil na liderança mundial de energias renováveis em escala comercial. Para Lula, o país é hoje respeitado mundialmente e é preciso aproveitar o que chamou de "momento de ouro" para transformar o futuro em políticas sociais e econômicas "sólidas".
O ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, cobrou que é preciso "fazer do biodiesel uma realidade". Segundo ele, o país vai se beneficiar com a geração de emprego e renda lideradas pela produção do biodiesel, além da menor emissão de CO2 na atmosfera.
O presidente lembrou que a nova mistura deverá contribuir também para reduzir a importação de diesel pelo Brasil. Ele destacou que o país não pode continuar a depender apenas da soja. Perdemos 28 anos [desde que o biodiesel foi patenteado, em 1975]. Essa decisão já deveria ter sido tomada", afirmou.
Lula acredita que a crise econômica mundial veio "provar" que o Estado precisa ser regulador e, ao mesmo tempo, indutor. "Isso aumenta as nossas responsabilidades", disse, ao sugerir que reuniões sobre biodiesel sejam realizadas pelo menos uma vez ao ano."Se a gente não induzir o cidadão, não vai acontecer. Temos que dizer que queremos, que vamos comprar, que vamos usar e qual a política de incentivo", finalizou.

Palestra sobre novas oportunidades - CHEVRON

Click no link abaixo para assistir essa palestra

http://midia.com.puc-rio.br/integra/20090827_chevron.wmv

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Explosões atingem refinaria de petróleo em Porto Rico

Ao menos três pessoas ficam feridas em explosão; bombeiros ainda não conseguem combater o fogo.

SAN JUAN- Pelo menos três explosões atingiram uma refinaria de petróleo nos arredores de San Juan, capital de Porto Rico, na madrugada desta sexta-feira, 23. Ao menos três pessoas ficaram feridas.

Enormes labaredas podem ser vistas a grande distância. Os bombeiros ainda não puderam se aproximar da refinaria da Caribbean Petroleum Corporation (CAPECO), no bairro de Bayamón, para combater o fogo.
O superintendente da Polícia, José Figueroa Sancha, explicou que as explosões aconteceram em vários tanques da refinaria logo após a meia-noite e provocaram o pânico de centenas de moradores que residem nos arredores da refinaria situada em Bayamón.
Policiais locais de Bayamón e Guaynabo isolaram a zona, enquanto os bombeiros tentam chegar até o lugar do acidente para apagar o incêndio e confirmar se há vítimas dentro da refinaria.
Por precaução, as autoridades ordenaram o isolamento de várias residências nos arredores da refinaria. Várias equipes de bombeiros estão mobilizadas para poder intervir, mas o calor é tão intenso que ainda não puderam se aproximar o bastante.
O governador porto-riquenho, Luis Fortuño, ordenou que se ativasse o plano de emergência para acidentes graves.
A maioria das reservas de petróleo da Autoridade de Energia Elétrica (AEE) se armazena nos tanques da refinaria da CAPECO e tudo aponta a que os que explodiram se encontravam repletos de combustível.



segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Produção mundial de petróleo atingirá pico em 20 anos

Londres, 09/10/2009
Relatório divulgado nesta quinta-feira por um "think tank" britânico prevê que a produção de petróleo atingirá seu pico dentro de 20 anos e, a partir de então, entrará em um declínio que nem as recentes ou futuras descobertas serão capazes de reverter.
Para simplesmente manter o atual nível de produção e consumo, de cerca de 30 bilhões de barris por ano, seria preciso que a cada três anos uma Arábia Saudita - o maior produtor mundial do combustível -- entrasse na linha de produção.
Para efeito de comparação, estima-se que a camada pré-sal do Brasil contenha entre 50 bilhões e 80 bilhões de barris.
A pesquisa do UK Energy Research Council destaca que, embora existam 70 mil campos de petróleo no mundo, apenas 500 respondem por dois terços das reservas.
"A maior parte da produção vem de um pequeno número de grandes campos. A maioria deles foi descoberta há muitos anos ou décadas atrás, em dois terços deles a produção já está em declínio, outros entrarão em declínio nos próximos anos, e isso terá de ser substituído por novas descobertas ou projetos que normalmente estão em campos menores", explicou à BBC Brasil o principal autor do estudo, Steve Sorrell.
"E mesmo se são grandes, como Tupi, no Brasil, estão em locais de difícil acesso e caros de explorar. Ainda que sejamos otimistas em relação às reservas do mundo, a geologia coloca restrições em relação ao que é possível extrair."
A taxa de declínio de produção em campos que já passaram de seu pico - justamente os que concentram o grosso da produção mundial - é em média de pelo menos 6,5% ao ano, diz o estudo.

Alternativa

Os pesquisadores estimam que a produção atingirá o teto até 2030, mas que existe um "risco significativo" de que o pico se dê dez antes, em 2020.
A esse passo, mais de dois terços da capacidade atual de produção precisariam ser substituídos nas próximas duas décadas apenas para evitar uma queda na oferta.
Diante deste cenário, o estudo critica o que chama de "lentidão" e "pouca preocupação" por parte de governos em agir.
Sorrell argumenta que, ainda que o mundo esteja avançando em tecnologias alternativas, como eólica e solar, estas fontes não necessariamente substituem o petróleo, cuja utilização está concentrada no setor de transportes.
"Há alternativas, como o plano europeu de aumentar a eficiência dos veículos, o uso de veículos elétricos, uso de transporte público e eficiência do transporte público", disse Sorrell.
"Mas o petróleo responde por 30% da energia do mundo e se estamos pensando em substitui-lo com fontes alternativas, isso levará décadas."

Volatilidade

Sobre o uso de biocombustíveis líquidos como alternativa ao petróleo, o pesquisador se disse "cético" em relação à possibilidade de que esta seja uma "alternativa global".
"Há limites em relação à fonte desses recursos e à concorrência com a produção de alimentos. Precisamos de alimentos para atender a uma população que cresce", disse.
Para ele, "os biocombustíveis terão um papel importante, especialmente no Brasil, mas menos nos Estados Unidos, onde a produção é cara e compete com a produção de alimentos".
Na opinião do especialista, o mundo não apenas entrará em uma fase de petróleo "caro" e de "exploração demorada", como também "volátil".
"Hoje, o barril está custando US$ 70 e estamos no meio da maior recessão mundial desde a Segunda Guerra", argumenta.
"Quando, e se, a demanda voltar a se aquecer, esperamos que os preços voltem a subir, porque justamente a recessão fez com que muitos projetos fossem cancelados ou adiados e são necessários muitos anos para extrair petróleo dos campos. Isso em si é um problema, porque desencoraja projetos e investimentos."

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Eike Batista descobre óleo na Bacia de Campos

OGX confirma presença de combustível no bloco em que ela é a única operadora


Jornal O Dia (08-09-09)

Rio - A OGX Petróleo e Gás Participações S.A. enviou comunicado ao mercado ontem, confirmando ter encontrado óleo na parte sul da Bacia de Campos, em águas rasas, no chamado complexo Vesúvio. Segundo o documento, as reservas estão no poço 1-OGX -1-RJS (bloco BM-C-43) — 100% da companhia. O presidente e acionista controlador da empresa, Eike Batista, afirmou que valeu apostar no setor. O poço está a aproximadamente 85 km da costa do Estado do Rio, em lâmina d’água de aproximadamente 140 metros.
A sonda Ocean Ambassador, fornecida pela empresa Diamond Offshore, iniciou as atividades de perfuração no dia 17 de setembro deste ano.“O Brasil é o país do presente, e a OGX é a prova de que vale à pena apostar na competência dos brasileiros e na riqueza e na abundância dos nossos recursos naturais. Esses recentes sucessos vão pavimentar o caminho do nosso robusto crescimento econômico e igualdade social. Viva o Brasil!”, comemorou. Segundo o executivo, o sucesso do poço confirma as expectativas positivas da companhia na região.
A OGX atua em área de exploração com 7 mil quilômetros quadrados no mar e 21.500 quilômetros quadrados em área terrestre, em 29 blocos exploratórios nas bacias de Campos, Santos, Espírito Santo, Pará-Maranhão e Parnaíba. A empresa anunciou reservas de US$ 4 bilhões para investimentos em exploração, produção e negócios. Eike Batista tem investido na região Norte do estado. No início do ano, ele iniciou as obras do Porto do Açu, em São João da Barra, ao lado do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho.

Nota do André - É claro que a data da colocação da plataforma de perfuração foi informada de forma equivocada. Achar petróleo em 20 dias de perfuração, só na época do Cel. Drake.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Com preço menor, Petrobras importa GNL e reduz compra de gás da Bolívia

Estatal injetou 14 milhões de m3 de GNL no Estado do Rio em setembro


A redução da dependência do gás natural importado da Bolívia já está permitindo à Petrobras optar pela compra de parte do produto de outras origens, de menor custo. Em entrevista, a diretora de Gás e Energia da estatal, Maria das Graças Foster, disse que, no momento, é mais barato importar cargas já contratadas pela companhia de GNL (Gás Natural Liquefeito) - transportado em navios na forma líquida - do que comprar da Bolívia.
Nestes dias, a Petrobras injetou na rede de gás do Estado do Rio uma carga de 14 milhões de metros cúbicos (m3) de GNL. Mas a diretora destacou que a empresa continua cumprindo o contrato com a Yacimientos Petrolíferos Fiscales de Bolívia (YPFB), a estatal do país vizinho, que prevê a importação mínima de 19 milhões de m3 por dia de gás por mês.
Em 22 de setembro, o presidente da YPFB, Carlos Villegas, disse que o fornecimento para o Brasil estava na faixa de 16 milhões de m por dia e que, por isso, o país estaria sujeito a multa. E, na semana passada, o ministro de Hidrocarbonetos boliviano, Oscar Coca, dissera que as estatais dos dois países se reuniriam para revisar o contrato de compra e venda de gás até hoje. O gás é o item mais importante da pauta de exportações da Bolívia, e o Brasil é seu principal mercado.
Graça Foster nega as informações de Villegas e de Coca. Segundo ela, nos primeiros dias de setembro, as importações têm oscilado em torno de 20 milhões de m3 por dia e que nunca ficou abaixo do mínimo de 19 milhões de m3 diários.
- Não tenho nenhum indício de redução das compras do gás da Bolívia, e tudo indica que a média de setembro deve ficar em 21 milhões de m3 por dia. Agora, tenho as cargas de GNL e, sendo mais baratas do que o gás da Bolívia, vou colocá-las no mercado - disse Graça Foster. - A Petrobras jamais falou com a YPFB que queria sentar com a empresa para rever o contrato. Isso não existe - afirmou Graça Foster, como mostra reportagem recentemente publicada.
A Petrobras informou ter realizado, leilão para venda de gás natural, com prazo de fornecimento de outubro de 2009 a março de 2010. O leilão inaugurou nova modalidade contratual de comercialização junto às distribuidoras e o início do desenvolvimento do mercado secundário de gás no país. Foram comercializados 3,75 milhões de m3 por dia.
Fonte: Ramona Ordañez, “O Globo”, setembro/09

Nota do André - Ficaram fazendo um "doce" com o Brasil agora ficam reclamando. Como diz o Cordão do Bola Preta: "Lugar quente é na cama." Vá reclamar com o Papa.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009


Rio de Janeiro é a sede dos Jogos Olímpicos de 2016




02/10/2009
13h50min



Candidatura de Madri ficou em segundo lugar

Pela primeira vez na história, o Brasil e a América do Sul receberão os Jogos Olímpicos. Após três rodadas de votação do Comitê Olímpico Internacional (COI), no início da tarde desta sexta-feira (horário de Brasília), em Copenhague, na Dinamarca, a cidade do Rio de Janeiro foi anunciada como sede da Olimpíada de 2016. Em segundo lugar, ficou a candidatura de Madri. Em seguida, será assinado o contrato entre o COI e a cidade ganhadora. Depois, as duas partes darão uma entrevista coletiva.



Na primeira rodada de votação, pouco depois das 12h, Chicago teve o pior desempenho e foi eliminada, decepcionando quem esperava melhor sorte da cidade defendida pessoalmente por Barack Obama. Na segunda sessão, Tóquio ficou de fora. A terceira rodada foi realizada logo em seguida, mas o resultado foi mantido em sigilo por uma hora e revelado somente em uma cerimônia especial. Às 13h50min, saiu o anúncio muito festejado neste momento por milhares de pessoas na praia de Copacabana.



Finalistas apostaram na emoção



De todas as apresentações, justamente a do Rio e a de Madri — as duas últimas a serem feitas — foram as mais emotivas. As candidaturas eliminadas primeiro foram as mais pragmáticas. Apenas a primeira-dama americana Michelle Obama, que falou com muita emoção sobre a sua cidade natal, mexeu com o sentimento dos jurados. Barack, por sua vez, deu um discurso rápido e deixou a Dinamarca antes mesmo do anúncio do resultado, após ficar apenas cinco horas no país.



Pela delegação brasileira, por exemplo, o primeiro a falar, pouco depois das 7h (horário de Brasília), foi João Havelange. O patrono da campanha e decano do COI recebeu aplausos ao convidar a todos para uma Olimpíada em sua cidade no ano do seu centésimo aniversário. O Rio de Janeiro apostou em imagens de forte valor emocional e valorizando as belezas naturais da capital fluminense, além de um gráfico mostrando que a América do Sul nunca recebeu uma edição dos Jogos Olímpicos, ao contrário dos demais continentes.



O presidente Lula, com toda sua popularidade internacional, também deu um discurso com apelo sentimental.



— Para os outros, será apenas mais uma Olimpíada. Para nós, será uma oportunidade sem igual. É um continente que nunca recebeu os Jogos Olímpicos. Chegou a hora de corrigir esse desequilíbrio.



Adversário de peso



Pois está corrigido. Mesmo com a forte concorrência da capital espanhola, que levou a Copenhague o rei Juan Carlos, o presidente José Luis Zapatero, o presidente de honra do COI, Juan Antonio Samaranch, e diversos atletas, incluindo o eterno capitão do Real Madrid, Raul González. A delegação apostou na forte mobilização popular — com imagens das milhares de pessoas reunidas formando um mosaico humano — e na inigualável infra-estrutura previamente pronta. Segundo dado anunciado pelo próprio rei, 77% da estrutura necessária para sediar uma edição dos Jogos já está construída.



Porém, quando restaram apenas Rio e Madri, foi difícil conter o entusiasmo dos brasileiros. Dificilmente o COI escolheria outra cidade europeia para suceder Londres. Até porque muitos integrantes do júri representam cidades da Europa que podem pretender sediar os Jogos de 2020 e sabem que três edições consecutivas no mesmo continente seria algo impensável.



Até o presidente Lula foi chamado no hotel e voltou para o local do evento e estava presente para ouvir o esperado anúncio do presidente do COI, Jacques Rogge, que confirmou as expectativas. Na cerimônia de encerramento dos Jogos de 2012, o mundo já terá uma prévia do que verá no Rio de Janeiro, na primeira Olimpíada da história do continente.

CLICESPORTES

RESCISÃO DAS CONCESSÕES REALIZADAS SOB A ÉGIDE DA LEI DO PETRÓLEO

 01/10/09


Não há dúvidas que há muitas polêmicas em torno dos quatro projetos de Lei sobre o novo marco regulatório do Petróleo, que tramitam no Congresso Nacional.



Dando continuidade nas análises jurídicas destes projetos, nesta semana analisaremos o Projeto de Lei nº 5.891/2009. O Projeto trata sobre diversos temas como política energética nacional, atividades relativas ao monopólio estatal do petróleo, a transformação da Petrobrás em empresa pública e sobre a destinação das receitas para o combate às desigualdades sociais, denominado Fundo Social.



A princípio, alguns debates surgem sobre a criação do Fundo Social e da transformação da Petrobrás em empresa Pública. Mas, não vamos abordar estas questões nesta semana, pois existe um tema mais relevante e de maior impacto no marco regulatório. Trata-se do art. 24, que traz a seguinte redação:



“Em razão do relevante interesse público, da titularidade da União sobre os recursos naturais de que trata esta Lei, e da substancial alteração do quadro de reservas brasileiras de petróleo e gás natural, ficam rescindidas as concessões realizadas sob a égide da Lei 9.478/97.”



O artigo é bastante claro em trazer a expressão “ficam rescindidas”, bem diferente de podem ser rescindidas. Apesar, de estabelecer o pagamento de indenização dos investimentos dos concessionários no artigo seguinte, este artigo 24, por si só, é mais polêmico do que as questões do regime de partilha e da reserva de 30% dos blocos de pré-sal para a Petrobras.



Do ponto de vista legal, não existem problemas. Mas, a lei não pode estar dissociada da realidade. A rescisão de todas as concessões até então concedidas traz consigo uma mensagem de retrocesso político, insegurança nos investimentos realizados no Brasil, bem como insegurança jurídica.



Em outras palavras, o legislador deve estar próximo da realidade, evitando criar leis que confirmam que “no Brasil, nem o passado é certo”.



Por Miguel Mirilli

nicomex@nicomex.com.br



Miguel de Oliveira Mirilli é sócio da B&M Defesa em Comércio Internacional, formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em Direito Empresarial com especialização em Tributário pela Fundação Getúlio Vargas.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Tá Chegando a Hora!!!


IBP critica função da Petrobras no pré-sal

Fonte: Agência Estado
Data: 30/09/2009 12:59
O presidente do Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP), João Carlos de Luca, afirmou hoje, durante o debate "O futuro do pré-sal II", promovido pelo Grupo Estado, que a criação de um operador único dos campos do pré-sal pode resultar em um "conflito de constitucionalidade".
O executivo, que trabalhou na Petrobras por mais de 20 anos, também destacou que a participação obrigatória da estatal em todos os blocos na região pode onerar as operações da companhia. "Não achamos que o modelo seja bom nem para a Petrobras, porque há um sentido de onerosidade, por haver a obrigatoriedade de a empresa operar blocos menos rentáveis", afirmou.
O executivo diz acreditar que a prioridade da estatal deverá ser dada aos grandes blocos da região, nos campos de Tupi, Carioca e Guará, mas o modelo também obrigará a estatal a operar blocos com menor potencial. Para ele, isso "engessaria" a atuação da empresa. Ao mesmo tempo, o modelo de uma operadora única limitaria a atividade da iniciativa privada. "O operador único limita demais o desenvolvimento da indústria do petróleo", afirmou.
Outra preocupação do presidente do IBP é a possibilidade de a Petrobras ser prejudicada pela decisão de empresas de apresentarem propostas consideradas não atrativas para a estatal. "A Petrobras pode escolher um sócio e aparecer um outro consórcio com oferta econômica muito ousada", disse. Neste caso, segundo ele, a Petrobras poderia ser obrigada a abandonar o sócio escolhido para operar o bloco com outro sócio.
João Carlos de Luca ressaltou ainda que é preciso "desonerar" a Petrobrás. Para isso, ele defendeu uma maior participação da iniciativa privada. "Queremos preservar o espaço para a iniciativa privada também ter uma participação complementar (na exploração do pré-sal) de 15% a 20%, como hoje", disse, referindo-se ao atual modelo de concessão adotado no Brasil.
O presidente do IBP também criticou o que chamou de "poder excessivo" da Petro-Sal na decisão sobre a exploração do pré-sal. O projeto que prevê a criação da nova estatal, explicou o executivo, concede à Petro-Sal uma participação mínima de metade dos assentos nos comitês dos consórcios que vão coordenar a exploração. "Corremos o risco de ter o trabalho de explorar os poços, construir as plataformas e, na hora H, não podermos tomar decisão nenhuma", destacou.

Provas do Enem Canceladas!!!

MEC confirma cancelamento das provas do Enem


01 de outubro de 2009 • 05h34 • atualizado às 08h39

O Ministério da Educação cancelou na madrugada desta quinta-feira a realização do Exame Nacional do Ensino Médio, que seria aplicado neste final de semana para mais de 4 milhões de pessoas em todo o País. O cancelamento teria ocorrido em virtude do vazamento da prova.

As provas seriam aplicadas nos dias 3 e 4 de outubro em 113.857 salas de 10.385 escolas do País. O ministro da Educação, Fernando Haddad, deve conceder entrevista na manhã desta quinta-feira para falar sobre a decisão.

De acordo com o jornal Estado de S. Paulo, por telefone, um homem procurou o jornal na tarde dessa quarta-feira e disse que tinha duas das provas que seriam aplicadas no sábado. Em troca da informação, teria cobrado R$ 500 mil. A decisão teria sido tomada pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, após tomar conhecimento do vazamento.

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Reynaldo Fernandes, disse ao jornal que "há fortes indícios de que houve vazamento, 99% de chance".

Haddad disse ao jornal que não teve acesso ao material da prova e confirmou o vazamento após consultar técnicos do Inep, com base em informações que teriam sido passadas pelo jornal ao ministro.

Agência Brasil

Nova prova do Enem já está pronta, diz ministro

01 de outubro de 2009 • 08h02 • atualizado às 08h13

O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou em entrevista ao Bom Dia Brasil que uma nova prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já está pronta e o tempo para aplicação depende apenas da impressão das cópias. O Enem, que seria aplicado a mais de 4 milhões de estudantes, foi cancelado nesta quinta-feira devido a uma suspeita de fraude.

Segundo Haddad, o ministério tem um "banco de itens" preparado para o caso de ter que realizar um novo exame. O ministro disse ainda que é a primeira vez que uma prova do Enem é furtada, mas o caso será investigado.

Haddad afirmou também que os inscritos no Enem devem ficar tranquilos. Eles devem continuar estudando como se fossem fazer a prova nas próximas semanas.

O ministro afirma que a denúncia chegou ao ministério por uma jornalista do jornal O Estado de S. Paulo, que descreveu alguns itens que correspondiam ao conteúdo. "No Enem nunca havia ocorrido um furto de um exemplar da prova, mas os indícios são fortes", disse.

De acordo com o jornal, por telefone, um homem procurou a redação na tarde de quarta-feira e disse que tinha duas das provas que seriam aplicadas no sábado. Em troca da informação, teria cobrado R$ 500 mil.

Investigação

Haddad afirmou que o furto da prova será investigado para tentar descobrir em qual momento o exame foi desviado. Segundo o ministro, a segurança da confecção das cópias é feita com vigilantes e câmeras de segurança.

Redação Terra

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Plano de negócios da Petrobras inclui incentivo a estrangeiras

Sofia Fernandes
Agência Folha

Brasília, 22/09/2009 - 16h29 - O plano de negócios da Petrobras 2009-2013 e o Plano Estratégico 2020 preveem a produção de 3,6 bilhões de barris de petróleo em 2013, e 5,7 bilhões em 2020. Hoje, a produção é de 2,5 milhões de barris.
Para tanto, a estatal defende que irá incentivar a instalação de empresas estrangeiras, além da entrada de empresas nacionais no jogo. A estatal se propõe também a desenvolver concorrência em setores de média competição.
O fato de a Petrobras ser operadora única do pré-sal não quer dizer que outras empresas não participem. O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, explicou que a Petrobras vai contratar outras empresas e serviços para compor uma cadeia de fornecedores. "Ser operador único é ser responsável pelas proposições e coordenar as tarefas com o conjunto", disse.
De acordo com o plano de negócios da Petrobras, o Brasil terá capacidade de refino de 2,3 milhões de barris por dia. Em 2020, será de 3 milhões, com a construção de cinco refinarias. Atualmente, a capacidade de refino é de pouco mais de 1 milhão de barris por dia. Ao lado do petróleo, há a meta de produção de 535 mil metros cúbicos de biodiesel.

Exploração

A primeira fase de exploração do pré-sal vai durar até 2010. Ela consiste na aquisição de conhecimento e avaliação do potencial das reservas.
O alcance de produção significativa se dará em 2017, com soluções tecnológicas e logísticas agregadas à produção.
Gabrielli salientou que a estatal já é a maior produtora mundial de petróleo e gás em águas profundas do mundo. A empresa detém 22% desse tipo de exploração.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Primeiro Workshop para Lideranças do Mercado de Gás LP marca revolução no setor

Entre os dias 26 e 28 de agosto, 55 líderes do mercado de Gás LP, incluindo 25 sindicatos, entidades de classe e associações representativas da Revenda e da Distribuição, além de representantes das Companhias Distribuidoras, reuniram-se no hotel Portobello Resort, em Mangaratiba (RJ), para definir pontos convergentes e divergentes na agenda do setor. Foram debatidos mais de 15 temas de fundamental importância para o mercado. Tratou-se de um evento que certamente ficará para a história do Gás LP no Brasil. O resultado foi extraordinário e as convergências excederam a expectativa de todos. Revenda e Distribuição deram um basta à revenda clandestina. Intolerante a todas as formas de ilegalidade no comércio de recipientes de Gás LP, o grupo confirmou a necessidade de realização de campanhas para esclarecimento aos consumidores do perigo de se comprar em revendas clandestinas.
Quanto à qualidade do botijão de gás de 13 kg, todos foram unânimes em afirmar que os recipientes melhoraram de forma dramática nos últimos 13 anos. Revenda e Distribuição consideram que o programa nacional de requalificação foi e é um sucesso e que é preciso estabelecer metas para os recipientes de outras capacidades.
Houve um entendimento geral de que é uma irresponsabilidade a proposta contida no projeto PL 6618/2006, sobre enchimento de botijões em postos revendedores.
O resultado do evento foi extremamente positivo e já está sendo elaborado um cronograma de ação dos temas tratados no 1º Workshop para Lideranças do Mercado de Gás LP.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Gás Natural em Minas

Após concluir o mapeamento geológico e os estudos de geoquímica de superfície e de sísmica de reflexão, a perfuração do poço com potencial para a extração de gás natural, na Bacia do Rio São Francisco, no Bloco 132 poderá ser iniciada a partir deste mês de setembro. O local escolhido para a perfuração, pioneira em Minas Gerais é nas proximidades do Rio Indaiá, no município de Morada Nova de Minas, na Região Central do Estado. O investimento total estimado para o primeiro poço é de R$ 17 milhões, incluindo os R$ 7 milhões já utilizados para os estudos.
Dependendo da capacidade da reserva encontrada, a perspectiva é de que o gás possa ser comercializado dentro do prazo de cinco anos. As análises do material coletado na saída do gás pela superfície da água do Rio Indaiá indicaram que esse é composto em sua maior parte de gás metano (99%). As características geológicas da Bacia do São Francisco, em relação ao seu Sistema Petrolífero, apontam para a ocorrência de gás natural sem óleo associado ou com uma pequena quantidade de hidrocarbonetos líquidos associados.
Segundo o geólogo da Codemig, Renato César Fonseca, ainda não há confirmação de hidrocarbonetos no local. “Este poço é um poço exploratório pioneiro, o que significa que o mesmo testará algumas situações favoráveis à ocorrência de hidrocarbonetos, identificadas pelos estudos geológicos. Em termos do volume de hidrocarbonetos esperado, este é um tema que não podemos divulgar”, afirmou Renato.
Minas poderá se tornar potência na exploração de gás.
O mercado potencial do gás natural é grande, principalmente no setor industrial. A expectativa é que o empreendimento proporcione crescimento e desenvolvimento à região. Dados da Petrobras indicam que o Brasil consome diariamente 58 milhões de metros cúbicos de gás natural, sendo 60,8% destinados à indústria, 16,9% à produção de energia elétrica e 13,8% à indústria automotiva.
Caso o poço confirme as expectativas dos especialistas, o início da comercialização desse gás poderá trazer grandes benefícios para o estado e para o país. “Se o poço tiver uma acumulação de gás natural e tiver a sua economicidade confirmada com a perfuração de novos poços e a realização de outros estudos de geologia, engenharia, comercialização, podemos dizer então, que haverá oferta de uma fonte energética de grande importância econômica, produzida a partir de uma Bacia terrestre (onde os custos operacionais são muito inferiores aos incorridos quando a produção se dá em áreas submersas), localizada próxima aos grandes centros consumidores do Brasil”, disse o geólogo.
O Bloco 132 foi arrematado no leilão da Agência Nacional do Petróleo (ANP) pelo consórcio que tem 49% de participação da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), 30% da Orteng, 11% da Delp e 10% da Comp. Com o início da perfuração, esse será o último passo para definir se Minas Gerais será, de fato, uma potência na exploração de gás, com a redenção econômica de municípios como Morada Nova de Minas, Biquinhas, Paineiras, entre outros.
Por Bruno Hennington/Nicomex Notícias, agosto/09

domingo, 13 de setembro de 2009

Trabalho a Vista!!!

Rio recupera prestígio com novos investimentos


Além da sede da Petro-Sal, novo marco do petróleo concentra aqui maior parte dos 616 mil empregos. Impulso a outros setores permite ao estado ressurgir como centro econômico

POR LUCIENE BRAGA, RIO DE JANEIRO



Rio - O anúncio de que a nova estatal criada para administrar os negócios do pré-sal — a Petro-Sal — será instalada no Rio de Janeiro só reforça o prestígio do estado, que também sedia a Petrobras e subsidiárias, além da Agência Nacional do Petróleo (ANP). A Petrobras vai empregar 616 mil no Sudeste até 2014, sendo a maior parte no Rio. Estimativa coincide com o documento Decisão Rio 2010-2012, da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que mostra que os investimentos no estado vão além do petróleo e deverão atingir R$ 126 bilhões nos próximos três anos e gerar pelo menos 300 mil empregos diretos e indiretos.



O Rio perdeu o status de capital do País para Brasília e o centro financeiro, para São Paulo, mas manteve a posição como principal estado produtor de petróleo, o que será reforçado com a operação do pré-sal, porque as linhas que demarcam áreas beneficiadas por royalties e participação especial (PE) privilegiam o estado. Assim, estuda-se instalar a principal base do pré-sal em Itaguaí, perto do novo porto e de frente para as reservas.







Para Cristiano Prado, gerente de Infraestrutura e Novos Investimentos da Firjan, o estado vive um de seus melhores momentos, porque têm pólos de desenvolvimento em diversos setores da economia. A autoestima dos empresários está elevada: em um mês, o centro empresarial da Firjan fez 15 apresentações para nacionais e estrangeiros, com uma missão internacional por semana.



“Esse montante de R$ 126 bilhões representa mais de 20% a 22% do investimento para o Brasil no período. Só o Complexo Petroquímico de Itaboraí receberá R$ 17 bilhões. A Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), em Santa Cruz, terá outros R$ 7,8 bilhões. E o complexo portuário do Açu, no norte do estado, reflete o desenvolvimento na capital e no interior”, avalia. Áreas que demandam profissionais são a construção civil, a indústria metal-mecânica e a do petróleo. “As pessoas precisam se preparar. Quem tem Ensino Básico tem que fazer o Médio, procurar um curso técnico, especializado, e melhorar suas chances”, diz Prado. O pré-sal vai gerar novas concentrações industriais em outros municípios, além de Macaé, como o entorno do Arco Metropolitano.



Leia também: As oportunidades do pré-sal



Negócios para o pré e o pós-sal



A produção de petróleo na Bacia de Campos atinge 84% da nacional, enquanto a de gás natural chega a 43%, trazendo para o Rio as benesses econômicas dos royalties e participação especial, além de impostos da atividade. As participações governamentais no Rio, unindo estado e município, chegaram a R$ 10,14 bilhões em 2008 — 46% mais que em 2007. Considerado o total de royalties distribuídos no Brasil (estados, municípios, fundo especial, Marinha e Ministério de Ciência e Tecnologia), o Rio ficou com 21%.



Em direção contrária à chamada maldição do petróleo, que atrofia a indústria ao redor, foi a Petrobras que ressuscitou o setor naval com grandes encomendas nos últimos anos, cumprindo exigência de conteúdo nacional mínimo, privilegiando fornecedores brasileiros. A descoberta do pré-sal também elevou a projeção de investimentos locais: segundo a Petrobras, 616 mil empregos serão gerados na Região Sudeste — e a maior parte ficará no Rio, seguindo tendência atual que concentra 30 mil dos 75 mil funcionários da estatal. O Plano de Negócios prevê grandes investimentos com o pré-sal, mas também reserva projetos para o pós-sal, com Roncador, Marlim, Marlim Sul, Marlim Leste, Papa-Terra, Atlanta e Pirapitanga.



Expansão da Reduc gera 6 mil vagas



A Refinaria Duque de Caxias, a Reduc, é a 4ª maior da Petrobras em termos de capacidade instalada. Pode processar 242 mil barris de petróleo diariamente e está passando por processo de modernização e ampliação que vai gerar 6 mil empregos. Hoje, a Reduc produz o suficiente para o Estado do Rio e ainda tem excedente para exportação.



O Rio também é sede de estudos tecnológicos, com o Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello, o Cenpes, com investimento de R$ 2 bilhões por ano. Abriga a Universidade Petrobras, que treina cerca de mil pessoas por dia. Nesta semana, parceria entre a Petrobras e a multinacional Schlumberger promoveu a assinatura de acordo para a instalação, na UFRJ, de um centro de pesquisa internacional para tecnologias do pré-sal ao lado do Lab Oceano, da Coppe.



A indústria naval do Rio briga para manter o espaço que reconquistou com o apoio do petróleo. A primeira fase do Programa de Expansão da Frota de Petroleiros da Petrobras contratou 4 navios ao Estaleiro Mauá, em Niterói, gerando 8 mil empregos. Mais quatro estão no Eisa, no Rio, com 10 mil vagas. Na segunda fase, licitação para a construção de 22 navios tem 11 estaleiros do estado no páreo.



OUTRAS ÁREAS



TURISMO

No setor de turismo, somam R$ 500 milhões os investimentos para o período 2010-2012. Além dos empreendimentos da região da Costa do Sol, em especial em Cabo Frio, devem ser destacados os investimentos projetados na infraestrutura e saneamento básico em diversos cidades: Petrópolis, Niterói, Cabo Frio, Nova Friburgo e Região do Vale do Café, além da capital.



LOGÍSTICA

Modernização e recuperação do Aeroporto Internacional Tom Jobim e de rodovias de grande importância para o estado, a exemplo da duplicação da BR-101 norte.



ENERGIA

A construção de Angra 3 já tem as licenças ambientais e previsão de início das obras ainda neste ano. Há ainda a Usina Termelétrica do Açu, na retroárea do Porto, as pequenas centrais hidrelétricas em diversas regiões do estado e o primeiro parque eólico do País, em São Francisco de Itabapoana, no Norte.



Recorde em novos negócios



O Rio comemora números positivos. É recordista em registro de empresas: a Junta Comercial do Estado do Rio registrou, de janeiro a agosto de 2008, 22.113 novas. No mesmo período de 2009, foram 27.299 (23,4% de aumento). O estado já tem 8.761 empreendedores individuais, na nova modalidade recém-criada de formalização.

O Investe Rio, a agência de fomento oficial do estado, saltou de um orçamento minguado de R$ 8 milhões para R$ 170 milhões este ano, disponíveis para financiar novos negócios. No momento, há R$ 415 milhões na carteira da instituição, entre projetos sob avaliação e com recursos já liberados.



A Companhia de Desenvolvimento Industrial (Codin) analisa 74 pedidos de empresas interessadas em criar raízes por aqui. O presidente da instituição, Maurício Chacur, afirma que as operações do Investe Rio cresceram muito, a partir do trabalho que já vinha sendo feito desde 2006, mas, com a crise de crédito, o movimento aumentou.



“Temos muitos planos de expansão, alguns já em execução. Operamos no microcrédito no segundo piso (emprestando para empresas que emprestam aos empreendedores), mas vamos ao primeiro. Nosso foco são os pequenos, mas estamos em outros setores. Nossa carteira vai ser ampliada para efetuar repasses do BNDES aos municípios. Vamos promover também, em breve, concurso público para contratar 20 profissionais de Nível Superior. Precisamos de mais gente e estrutura. Temos, em média, de 3 a 4 reuniões diárias com empresas interessadas em financiamento. Às vezes, até utilizamos a minha sala”, descreve.



Entre os planos do governo do estado, está conceder microcrédito em pontos avançados nas comunidades em que tem realizado trabalhos de ocupação, para levar desenvolvimento. A nova presidente da Codin, Estela Almeida, que vem dos quadros do BNDES e de grandes empresas privadas, afirma que a briga para atrair os investidores começa muito antes, quando as missões do governo vão ao exterior.



“Disputam primeiro o investidor com a Ásia, com outros países da América do Sul. Por fim, quando conseguimos trazê-los para o Brasil, ainda temos que seduzi-los para fixá-los no Rio. Quais são os grandes pontos favoráveis? Os portos que temos e os em implantação. As três ferrovias e o arco metropolitano. O Rio está no centro de tudo. É plano. Conta muito”, explica Estela. Segundo ela, além do petróleo, setores de metalurgia, cosméticos, fármacos, logística, eletroeletrônico, têxtil e de energia dão o tom do equilíbrio de investimentos.



MUDANÇA



NOVOS CNPJs

A coordenadora do Rio Poupa Tempo e das Delegacias Avançadas da Jucerja, Conceição Ribeiro, afirma que a descentralização dos procedimentos da Junta é a razão do recorde de registros obtidos na instituição. A primeira unidade foi criada em Petrópolis, em julho de 2007. Em seguida, foram contempladas as cidades de Nova Iguaçu, Três Rios Volta Redonda, Barra Mansa e Cabo Frio, e o Rio Poupa Tempo de Bangu.



SERVIÇOS

Nas delegacias, é possível fazer registro e alteração de registro de empresas; emissão de certidão; inscrição estadual; CNPJ. O Rio Fácil recebe e dá entrada em todos os processos e orienta os futuros empresários, desde a escolha do nome até a legalização. “Antes, todos o processos vinham para a sede, na Avenida Rio Branco 10. Carimbavam, botavam número e mandavam para o Rio. E depois era reenviado. Nas delegacias, o julgador fica no local. Um funcionário do município é treinado pela Jucerja”, destaca Conceição.

http://odia.terra.com.br/portal/economia/html/2009/9/rio_recupera_prestigio_com_novos_investimentos_34768.html

domingo, 30 de agosto de 2009

A nova indústria do petróleo

Por Mauro Kahn

A história nos mostrou que descobertas de grandes reservas de petróleo produzem impacto suficiente para mudar a trajetória de um país. Esta regra valeu durante todo o século passado e continua presente no atual.

De início, os campeões absolutos nesta categoria foram os EUA que, na era de ouro do John D. Rockfeller, dava as cartas na condição de maior exportador mundial de petróleo. Logo em seguida, México, Venezuela, os Megaprodutores do Oriente Médio, Reino Unido, Noruega e, mais recentemente, a Rússia, que, recuperada do esfacelamento da União Soviética, turbinou a sua economia através do petróleo e do gás natural.
O que ninguém imaginava era que o Brasil, país do samba e do futebol, fosse também país do petróleo. Os que já passaram dos 40 ainda amargam a lembrança das filas dos postos de gasolina, nas quais pacientemente aguardavam para poder encher o pequeno tanque do Fusquinha antes do próximo aumento da gasolina.
Agora a situação se faz bem diferente. Nossa moeda está valorizada e a Indústria do Petróleo só nos traz empregos e alegrias. Notem que foi no vácuo do setor do petróleo que renasceu a Indústria Naval; Alavancou-se a construção civil, assim como o setor de Tecnologia da Informação & Telecomunicações; Inúmeros consultores fizeram fortunas no âmbito logístico, no direito empresarial, comércio exterior, gestão ambiental, entre outras muitas atividades que só lucraram e ainda se beneficiarão muito o desenvolvimento da economia do petróleo.
O fato de o nosso petróleo se encontrar predominantemente no mar, ainda por cima, em águas ultraprofundas, o que aumenta os custos de produção, não é de todo desanimador. Nossa Macroeconomia agradece à medida que cresce a demanda por elevados investimentos. Por conseguinte, nos deparamos com uma geração de empregos sem precedentes. De qualquer modo, sabemos estarmos bem amparados por uma estimativa de que a cotação do barril do petróleo continuará a recuperação de seus anteriores preços astronômicos.
Certo é também que no embalo do pré-sal a Indústria Naval construirá dezenas de sondas, navios e ainda mais de uma centena de barcos de apoio. Como termômetro deste cenário tão otimista, a NAVALSHORE conseguiu, recentemente, reunir 258 empresas (muitas delas estrangeiras) em uma de suas feiras. Afinal, estimam-se investimentos de cerca de 40 bilhões de dólares nos próximos dois anos.
Hoje, empresários visionários como Eike Batista já investem pesado no Pré-sal e em toda sua infra-estrutura. No município de São João da Barra, próximo ao Porto de Açu, uma cidade inteira será construída por sua iniciativa, como forma de abrigar tamanhos Recursos Humanos para o projeto. Ademais, a região é alvo da promessa de investimentos chineses. Em Maricá, por exemplo, serão construídos cinco estaleiros de médio porte.
O Brasil nunca foi alvo de tantos investimentos estrangeiros. Já podemos vislumbrar as multinacionais e bancos internacionais dirigindo seus investimentos para cá por compreenderem o potencial da Bacia de Santos, que além do seu petróleo leve, possui em volume de gás capacidade energética para todo o poderoso parque industrial paulista.
O real potencial destes reservatórios situados ao longo de todo o pré-sal não se conhece com precisão, mas o pior dos cenários já se apresentaria grandioso; O melhor, inimaginável. Foi por isto que a renomada Michael Page (Empresa de Recursos Humanos) já identificou escassez de mão-de-obra especializada para conseguir atender a esta demanda tão crescente, que, no médio prazo, poderá progredir geometricamente. Honestamente, não nos faltam motivos para afirmar que mais e mais profissionais buscam uma sólida especialização em petróleo & gás a cada dia, seja para crescer profissionalmente na própria empresa, seja mesmo porque almejam redirecionar suas carreiras.
É de suma importância apresentar um currículo competitivo no momento do crescimento, na iminência da transformação.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Nota aos meus alunos de Volta Redonda.

Venho por meio desta explicar o fato ocorrido comigo nessa unidade. O objetivo é tornar claro esse fato junto a vocês (figuras mais importantes e motivadores do meu trabalho).


No dia 8 de Agosto de 2009 fui informado pela coordenação (Sr. Almir Ramos) que não haveria aula em virtude da gripe A H1N1. Uma ordem que, segundo o coordenador, partiu da Secretaria Municipal de Volta Redonda. Informei que no dia 15 de Agosto eu não poderia repor a aula em virtude de um compromisso que já havia assumido (compromisso assumido, meses antes, uma vez que teoricamente (pelo calendário) as aulas de Volta Redonda tivessem terminadas). Fui informado pelo mesmo coordenador, que as aulas ainda encontravam-se suspensas pela mesma razão citada anteriormente. Essa informação foi repassada a alguns alunos que tem contato comigo (Orkut, MSN, e-mail, Blog e telefone) e também a senhora Vânia. Coloquei-me a disposição para repor a aula na semana seguinte 22 de Agosto, que foi prontamente aceita pelo coordenador. No dia 21 de Agosto o coordenador me avisou que em virtude ainda da gripe A H1N1 e agora também das fortes chuvas que caiam em Volta Redonda as aulas continuariam suspensas, mas uma vez foi comunicado, por mim, a senhora Vânia e a um pequeno grupo de alunos que mantenho contato que não haveria aula. No Sábado (22 de Agosto) à tarde para minha surpresa sou informado que além das aulas estarem ocorrendo, teve a prova e uma nova professora já estava aplicando matéria nova.


Por tanto quero primeiramente pedir desculpas aos alunos que eventualmente eu prejudiquei uma vez que passei uma informação “errada”, mas fui induzido ao erro pela senhora Vânia (que até entendo uma vez que é uma funcionária e com tal obrigada a cumprir ordens. Pensei que fossemos amigos) e também pelo coordenador Almir Ramos (esse eu não entendo porque não me informou que as aulas de vocês já haviam recomeçado).


Com essa nota ponho encerrada minha contribuição a vocês. Não quero que fique a impressão de ser um profissional irresponsável ou que faz as coisas de qualquer maneira. Ao longo dos meu 4 anos de docência, um fato como esse nunca tinha me ocorrido e nem sabia que pudesse ocorrer.


Torço pelo sucesso profissional de cada um de vocês. Continuem entrando no blog, pois sempre vou atualizar as oportunidades do mercado.


Sucesso!!! E até um dia.

sábado, 22 de agosto de 2009

Curso de Extensão

Esse curso é muito bom!
Maiores informações!!!

Evento na LabECO

Mais um evento show!! entre no site para baixar as apresentações.
A pena é ver tão pouca gente participando, depois reclamam que não existe atividades extracurriculares para participar. Quem organiza fica na dúvida se está agradando uma vez que pouca gente participa, pode ocorrer que ele não se sinta  motivado a realizar outros eventos.
Por tanto senhores!!! Trate de PARTICIPAR!!!!

sexta-feira, 21 de agosto de 2009


Chegou mais uma semana do petróleo da UFRJ. click na imagem e participe desse superevento!!!

INDIGINAÇÃO!!!


Senhores!!! Lembre-se bem desses nomes em Outubro do ano que vem. A cara-de-pau que certos senadores tem é uma coisa inacreditável. Minha maior surpresa foi ver o PC do B, que sempre quer sair bonito na foto do lado do povo. Só escutando Titãs!!!

quinta-feira, 20 de agosto de 2009


Essa é a hora!!!
Entre no site da ICN que é a empresa de RH contratada pela transocean para fazer o processo seletivo no Brasil. O link está na seção - Trabalhos & Qualificações.
Boa sorte a todos!!!

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

EVENTOS !!!

Senhores devemos participar do maior número de eventos possíveis a fim de desenvolver-mos nossas carreiras. Grande abraço!!!

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Cartilha - O Petróleo Tem Que Ser Nosso


Clique na imagem para obter a cartilha. LEIA!!! POSICIONE-SE!!! CONTRA OU FAVOR!!
O PETRÓLEO TEM QUE SER NOSSO!!!

domingo, 2 de agosto de 2009

Campanha - O PETRÓLEO TEM QUE SER NOSSO!!!


Clique na Imagem ou siga para http://www.apn.org.br/ e saiba como participar dessa maravilhosa campanha que pretende devolver a sociendade brasileira a dignadade em relação ao petróleo. Participe e informe-se, e principalmete tome uma posição. Contra ou favor, não importa. Apenas saiba das coisas e tome partido. O PETRÓLEO TEM QUE SER NOSSO!!!

quarta-feira, 29 de julho de 2009

CINE - CONHECIMENTO

Documentário “O petróleo tem que ser nosso”estréia, na quinta, 30, às 18h30, no Odeon.Entrada gratuitaO filme tenta responder a uma inquietante questão: diante das gigantescas reservas do pré-sal, que caminho o Brasil vai tomar? Políticos, intelectuais, sindicalistas, estudantes, representantes da igreja, artistas e militares estão entre os 34 depoimentos, de diferentes matizes, que abordam o tema sob perspectiva histórica, geopolítica, ambiental, econômica e social. A estréia será no Cinema Odeon, na Cinelândia, no Rio, em evento que começa às 18h30. A entrada é gratuita. O cinema tem lotação para 584 lugares, a serem preenchidos por ordem de chegada. Ingressos na bilheteria. “O petróleo tem que ser nosso – última fronteira” é um filme produzido pelo Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e pela Associação de Engenheiros da Petrobras (Aepet), dirigido por Peter Cordenonsi. Será uma peça importante na popularização da Campanha “O petróleo tem que ser nosso”, que reúne dezenas de entidades dos movimentos sindical, social e estudantil, dentre os quais o MST e a UNE. Cópias serão distribuídas pelo Brasil afora, mostrando à sociedade brasileira uma versão comprometida com a defesa dos interesses nacionais. Os depoimentos incluem desde o governador do Paraná Roberto Requião (PMDB) e do senador Aluísio Mercadante (PT), os deputados Chico Alencar (PSOL) e Brizola Neto (PDT), ao dirigente do MST João Pedro Stédile e ao coordenador da Conlutas José Maria de Almeida, passando pelo Brigadeiro Sérgio Ferolla, ex-diretor do CTA (Centro Técnico Aeroespacial) entre 1989 a 1992, comandante da Escola Superior de Guerra e ex-presidente do STM (Superior Tribunal Militar). Também d. Dimas Lara Barbosa, bispo auxiliar do Rio de Janeiro e secretário-geral da Conferência Nacional de Bispos do Brasil (CNBB). Os nomes pinçados - num elenco que também inclui os professores Ildo Sauer e Carlos Lessa, Ivan Pinheiro e o ator Paulo Betti, dentre outras “feras” – apenas foram escolhidos para dar uma dimensão da diversidade de ideologias e interesses que compõem o elenco dos apoiadores da Campanha “O petróleo tem que ser nosso” . Está reunido um exército de brasileiros, disposto e enfrentar o lobby das transnacionais do petróleo, visando à defesa do povo brasileiro e da soberania nacional.Apesar do tema complexo e polêmico, Cordenonsi conseguiu editar um filme leve, instigante, que prende do início ao fim o expectador. Ao final, uma surpresa que deixará emocionados todos os que tiverem o privilégio de assistir à pré-estreia, no Odeon. Cartilha – Além do filme, será lançada na próxima quinta, 30, no Cinema Odeon, a primeira edição da cartilha da Campanha “O petróleo tem que ser nosso”, com 100 mil exemplares. Com 24 páginas, ilustrações e imagens coloridas, a cartilha destina-se a estudantes, donas de casa, formadores de opinião e a todos aqueles que pretendem entender um pouco mais sobre a discussão do petróleo e as recentes descobertas do pré-sal. A forma como serão exploradas e comercializadas as novas reservas, que colocarão o Brasil entre os maiores produtores mundiais, é decisiva para os rumos que o país vai tomar. A campanha propõe um novo marco regulatório, defende a reestatização da Petrobrás e questiona a nova estatal.
Fonte: Agência Petroleira de Notícias (www.apn.org.br)

terça-feira, 21 de julho de 2009


Para que não esteve presente. Click na imagem e obtenha a apresentação
Para quem não pode estar presente clique na imagem e tenha essa excelente apresentação.

Funcionário da JBS morre após cair em máquina de processamento de aves

A JBS informou que o acidente aconteceu durante a higienização de um dos equipamentos da fábrica O funcionário da JBS, José Eudes Ferrei...