quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Participação

Comentem, em cada postagem, para haver uma interação maior.

Temer sanciona lei que desobriga Petrobras de operar no pré-sal

Sob a promessa de petroleiras estrangeiras de aumentar investimentos no país, o presidente Michel Temer sancionou nesta terça-feira (29) a lei que tira da Petrobras a obrigatoriedade de ser a operadora única do pré-sal, o que estava travando a realização de novos leilões de campos de petróleo nesta nova fronteira de óleo de gás no país.
Durante a cerimônia, realizada no Palácio do Planalto, Temer disse que a medida é a favor do país, porque vai permitir a realização de mais investimentos do setor de petróleo e, com isso, gerar mais emprego.
A lei muda a regra criada no governo Dilma Rousseff, que determinava que a estatal tinha de ser a operadora única do pré-sal e sócia de pelo 30% de todos os consórcios que explorassem esta riqueza no país.
"A medida reativa o setor do petróleo e gás e dá um novo impulso a ele. A Petrobras era uma empresa desajustada e hoje é ajustada", disse.
A cerimônia faz parte da ofensiva na área econômica para tentar estancar a crise provocada pela saída do ex-ministro Geddel Vieira Lima.
Dentro desta estratégia, o governo vai lançar também nesta quarta-feira (30) os editais de privatização dos aeroportos de Salvador (BA), Fortaleza (CE), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS).
Já a reunião com as centrais sindicais, para discutir a reforma da Previdência, foi transferida de quinta (1º) para a próxima segunda-feira (5). A intenção do governo federal é enviar a reforma previdenciária ao Congresso na próxima semana.
Na cerimônia desta terça-feira, petroleiras presentes no evento, principalmente estrangeiras com atuação no país, elogiaram a medida, apresentada no Congresso pelo senador e hoje ministro das Relações Exteriores, José Serra. Elas prometeram ao governo elevar os investimentos no país com a adoção da medida, pleiteada por elas.
O presidente da Petrobras, Pedro Parente, disse que a mudança na lei vai permitir ao país "acelerar a exploração do pré-sal", evitando que "esta riqueza ficasse lá no fundo do mar sem gerar recursos para o Brasil".
Ele lembrou que a estatal, passando por um período de recuperação financeira, não tinha condições de participar de todos os leilões do pré-sal, o que impedia a realização de novos leilões de campos de petróleo nesta região.
"Trocamos uma obrigação por um direito de preferência, o que é positivo para nós. Vamos analisar os próximos leilões e decidir de quais poderemos participar", acrescentou Pedro Parente.
Na cerimônia, o governo anunciou ainda a renovação, por mais de 20 anos, do repetro, programa que dá incentivos tributários na compra de equipamentos para a indústria do petróleo no exterior e no país. A medida também era reivindicada pelo setor de petróleo.
Fonte: Folha de São Paulo

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Gigante chinesa compra Concremat por R$ 350 milhões

A gigante chinesa Communications Construction Company (CCCC) comprou 80% do capital da brasileira Concremat Engenharia por R$ 350 milhões. 
O negócio foi aprovado ontem, sem restrições, pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), órgão de defesa da concorrência, apurou o Valor junto a fonte próxima da negociação.
fonte: valor econômico

Negociações sobre petróleo são suspensas

A reunião de especialistas dos países-produtores de petróleo, que estava agendada para 28 de novembro, não será realizada, informou a agência Bloomberg citando participantes das negociações.
Em vez disso, os participantes realizarão negociações internas para resolver as divergências existentes, informou a Bloomberg.
Mais cedo a mídia informou que os especialistas russos não iriam a Viena para o encontro de 28 de novembro. A Arábia Saudita também se recusou a enviar o seu representante para as negociações até se chegar a acordo dentro da OPEP — Organização de Países Exportadores de Petróleo.
O ministro da Energia russo Aleksandr Novak tinha dito que a Rússia apoiaria a posição da OPEP na questão das medidas de estabilização do mercado de petróleo só em caso de os países-membros da OPEP chegarem a consenso. (Sputnik News Brasil).

ANP: etanol cai em 13 Estados e sobe em outros 13 e no DF

Os preços do etanol hidratado caíram em postos de 13 Estados brasileiros nesta semana e subiram em outros 13 e no Distrito Federal, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).
Em São Paulo, principal Estado produtor e consumidor, a cotação subiu 0,41% na semana, para R$ 2,686, e no período de um mês acumula alta de 6,17%. Na semana, o maior avanço das cotações foi registrado em Tocantins (2,39%), enquanto o maior recuo ocorreu no Acre (1,66%). A maior queda mensal, de 1,63%, também foi no Acre e a maior alta foi na Bahia (8,09%). Na média brasileira, o etanol teve leve alta de 0,04% na semana e aumento de 4,92% no período de um mês.

No Brasil, o preço mínimo registrado para o etanol foi de R$ 2,329 o litro, em São Paulo, e o máximo foi de R$ 4,379 o litro, no Rio Grande do Sul. Na média, o menor preço foi de R$ 2,671 o litro, em Mato Grosso e o maior preço médio foi verificado no Amapá, de R$ 3,75 o litro.
Gasolina
Duas semanas após uma nova queda nos preços da gasolina nas distribuidoras, o preço médio do combustível vendido nos postos recuou em 17 Estados brasileiros, segundo dados da ANP, compilados pelo AE-Taxas. O litro do derivado de petróleo, no entanto, aumentou em outros seis Estados e no Distrito Federal e ficou estável no Pará, Paraná e em Roraima.
Em São Paulo, o litro da gasolina subiu 0,57% entre semana passada e esta, de R$ 3,495 para R$ 3,515, em média. Em Minas Gerais o aumento médio foi de 0,11%, para R$ 3,729 o litro, em média, enquanto no Rio de Janeiro houve queda de 0,86%, para R$ 3,921. Na média brasileira, o litro da gasolina caiu 0,27% entre os períodos, para R$ 3,665.
Competitividade
O preço médio do etanol hidratado segue sem competitividade ante o da gasolina em todos os Estados brasileiros, segundo dados da ANP, compilados pelo AE-Taxas. O levantamento considera que o combustível de cana, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do praticado pelo derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.
Mato Grosso, que tem preço de etanol equivalente a 71,98% do preço da gasolina, é o Estado onde o cenário é o menos pior para o combustível renovável. A gasolina está mais vantajosa principalmente no Amapá. Naquele Estado, onde não há fabricação de álcool e ainda há uma dificuldade logística para o recebimento do combustível das regiões produtores, o preço médio do etanol é de R$ 3,750 o litro, mais alto que os R$ 3,658 o litro cobrado pela gasolina. Com informações do Estadão Conteúdo.

Calero: 'Servidor público tem que ser leal, mas não pode ser cúmplice'

O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero reafirmou em entrevista ao Fantástico, transmitida neste domingo (27), as informações fornecidas à Polícia Federal. Ele enfatizou que só foram gravadas conversas telefônicas, ao contrário do que dizem boatos que ele teria marcado encontros só para fazer as gravações.
Calero disse que a primeira conversa sobre o imóvel do ex-ministro Geddel Vieira Lima que ele teve com o presidente Michel Temer teria sido num jantar com senadores no Planalto, onde ele contou sobre as pressões que vinha sofrendo. O presidente disse para ele não se preocupar, pois ele conversaria com Geddel.
No entanto, no dia seguinte, Temer marcou uma nova conversa com Calero e disse "Marcelo, eu tenho muito apresso por você, mas a decisão do Iphan me causou dificuldades operacionais". Disse também que Geddel ficou muito irritado e pediu para mandar o processo para a AGU, para a ministra Grace Maria Mendonça, "que resolveria a questão de maneira que fique bom para todos". "Eu não sou leviano, não sei o que a AGU faria e não sei se a ministra estava sabendo", explicou o ex-ministro. "Marcelo, a política tem dessas coisas", teria dito o presidente.
Calero admitiu ter feito gravações de conversas, mas somente de ligações que recebeu. “Eu fiz algumas gravações telefônicas. Ou seja, de pessoas que me ligaram. Entre essas gravações, existe uma gravação do presidente da República, mas uma gravação absolutamente burocrática. Inclusive, eu fiz questão de que essa conversa fosse muito protocolar, que é a conversa da minha demissão. Eu tive a preocupação inclusive de não induzir o presidente a entrar em qualquer tema pra não criar prova contra si”, afirmou.
"Ouvi que fui desleal. O servidor público tem que ser leal, mas não pode ser cúmplice", disse sobre os boatos de que ele marcou reuniões só para gravar.
Sobre Padilha, ele disse que o ministro-chefe da Casa Civil pediu a ele que o Iphan não tomasse nenhuma medida. Calero considerou preocupante que altas autoridades do governo percam tempo por razão particular de um ministro.
Ao final da entrevista, Calero se negou a responder se gravou conversas de Geddel e de Padilha. Admitiu apenas que gravou a ligação da sua demissão com Temer e conversas com outros ministros, mas não disse com quais.
Segundo o ex-ministro, ele se deu conta de que não poderia mais ficar no cargo depois que um assessor muito próximo do Temer ligou pedindo que o caso fosse direcionado para a AGU.
Geddel e Padilha foram procurados, mas não quiseram comentar o caso.
Parabéns!!!!!!!!! Calero. Precisamos de mais pessoas assim.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

MTE define nova regra para benzeno

A SIT/MTE (Secretaria de Inspeção do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego) definiu os procedimentos de descadastramento voluntário de instituições que não utilizam mais o benzeno. Pela Portaria Nº 507, publicada no Diário Oficial da União no dia 30 de setembro, a empresa deve enviar relatório de vigilância e saúde de todos os trabalhadores incluídos no PPEOB (Programa de Prevenção à Exposição Ocupacional ao Benzeno) e que atuaram durante o período de seu cadastramento.
De acordo com o coordenador geral de Normatização e Programas do Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho, Alexandre Scarpelli, a empresa deverá apresentar o pedido de descadastramento voluntário ao MTE, que por sua vez, deverá informar os resultados à CNPBz (Comissão Nacional Permanente do Benzeno).
Scarpelli ressalta que “com essa solicitação, assinada pelo representante legal da instituição e anexada a uma cópia do contrato social e à última alteração, a empresa será retirada da lista”. O auditor fiscal do Trabalho informa também que o pedido deve apresentar ainda uma Declaração de Responsabilidade, assinada pelo responsável pelo PPEOB e pelo representante legal da solicitante, com as devidas informações preenchidas.
A portaria define também que o DSST poderá enviar a solicitação de descadastramento à SRTE (Superintendência Regional do Trabalho e Emprego) da circunscrição onde se localiza a empresa, para inspeção, visando à verificação das informações prestadas na DR (Declaração de Responsabilidade). “Após o prazo de seis meses, a contar da data da solicitação, e não havendo informação de irregularidade na DR, o DSST comunicará o descadastramento à empresa e à CNPBz”, esclarece o coordenador da CGNOR.
BenzenoA substância é considerada chave nas áreas que envolvam subprodutos do petróleo, como colas, solventes, tintas, pesticidas, lubrificantes, ceras de polir automóveis, impressão gráfica, extração de óleos, produtos intermediários de laboratórios e farmacêuticos, explosivos, corantes, além da fabricação de isopor e outros materiais.
Entretanto, é altamente prejudicial à saúde, mesmo em pequenas quantidades e períodos mínimos de exposição. Órgãos governamentais têm tratado o benzeno como um risco sério ao trabalhador. O objetivo do poder público é prevenir a população quanto à sua exposição e criar formas de substituí-lo na indústria.
Fonte: MTE

É UM INOCENTE! KKKKK!!!

Aécio pede investigação de Marcelo Calero

Sobre a pressão de Geddel Vieira Lima, que nesta sexta-feira se demitiu do cargo de ministro, Aécio disse que 'qualquer ação caberia ao presidente Temer'


O presidente do PSDB, o senador Aécio Neves (MG), 18 vezes citado na Lava Jato, defendeu nesta sexta-feira (25) que o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero seja investigado por supostamente ter gravado conversa com o presidente Michel Temer.
"Há algo aí de extremamente grave e que também tem que ser investigado, o fato de um servidor público, um homem da confiança do presidente da República, com cargo de ministro de Estado, se confirmado isso, entrar com um gravador para gravar o presidente. Isso é inaceitável, é inédito na história do Brasil", disse Aécio.
senhor Aécio, de que forma poderia se resguardar Marcelo Calero da pressão sofrida??? Vou te falar, vocês são uma comédia e vão todos cair. Pessoa como o Calero devem ser elogiadas, seu comédia!
Para o tucano, Calero poderia, ao gravar deliberadamente Temer, induzir a conversa de forma a prejudicá-lo.
O senhor Temer é um inocente e ia ser induzido. KKKKK!!! Que país é esse???? 
"Isso permite a todos nós achar que nessa conversa ele tenha induzido qualquer palavra do presidente. Isso tem que ser investigado porque parece ato passível de punição", defendeu.
senhor Aécio, que punição o senhor sugere ao Marcelo Calero? 
De acordo com o jornal Extra, sobre a pressão de Geddel Vieira Lima, que nesta sexta-feira se demitiu do cargo de ministro, em cima de Calero para ajudá-lo em questões pessoais, Aécio tergiversou. Disse que qualquer ação caberia ao presidente Michel Temer.
NOTA: em vermelho são considerações do blog

DE OLHO!!! 3

Petrobrás está sendo privatizada “na moita” sem autorização do povo brasileiro

Num processo inusitado de negociações diretas, dirigidas, sem concorrência e muito menos transparência, a Petrobras vai sendo retalhada e distribuída no mercado.
Rapidamente aquela que foi a  grande empresa indutora do crescimento nacional, vai se transformar naquilo que Pedro Parente, sem nenhum constrangimento, já prometeu : uma pequena produtora de óleo cru, sem nenhum significado para a economia brasileira.
A estrutura deste esquema é bem clara no novo PNG 2017/2021, onde não estão previstos gastos com novas explorações por parte da Petrobras, somente com a manutenção do que já existe. Novas explorações vão ser entregues à petroleiras estrangeiras, que vão ter a primazia de descobrir o que já está descoberto : o pré-sal.
Outra providência tomada pela atual administração, foi a desvalorização dos ativos (impairments) , o que permitirá a venda a qualquer preço e mesmo assim gerar “lucro” contábil.
Alguns ativos como o Comperj e a Usina de Quixadá,  tiveram seus valores recuperáveis zerados.
Assim disfarçadamente, sem que a população brasileira se aperceba, a empresa vai sendo privatizada. Mais tarde, quando forem  descobertas as irregularidades cometidas, “já era”. Já será irreversível.
Uma nova proposta dentro deste projeto lesa´pátria, é a ofertada pelos governos do Irã e da Índia, da construção de uma refinaria e um polo petroquímico no Maranhão. A intenção é implantar a nova indústria no mesmo local em que a Petrobras ia construir uma Refinaria Premium e que foi abandonada em 2014, considerada inviável.
O projeto prevê a importação de petróleo e produção de derivados para venda no mercado brasileiro. Em dezembro autoridades dos dois países virão ao Brasil para conclusão das negociações. É fantástico.
O atual governo de “colonizadores” só pensa em explorar o Brasil e seu povo.
FONTE: Cláudio da Costa Oliveira, colunista do O Cafezinho

DE OLHO!!! 2

Geddel pede demissão do governo Temer

A bomba “Calero-Geddel” explodiu e derruba mais um ministro do frágil Governo de Michel Temer


Envolvido em acusações de tráfico de influência para liberar a obra de um prédio onde comprou um apartamento, na Bahia, o ministro Geddel Vieira Lima, da Secretaria do Governo, pediu demissão do cargo nesta sexta-feira (25). O pedido de demissão foi enviado por e-mail ao presidente Michel Temer. Geddel está na Bahia.

Em sua carta de demissão, Geddel afirma que tomou a decisão "diante da dimensão das interpretações dadas" ao episódio e do "sofrimento dos meus familiares", com a repercussão do caso.
O ministro diz ainda que sua decisão foi objeto de "profunda reflexão" e que continua como um "ardoroso torcedor" do governo Temer.
O pedido de demissão chega após depoimento do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero à Polícia Federal acusar Temer e o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) de também o terem pressionado para interceder em favor da obra defendida por Geddel.
Escândalo
Após o escândalo relevado pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, a situação de Geddel foi se agravando dia a dia, gerando constrangimento para o presidente Michel Temer, que pode inclusive ter sido gravado pelo seu ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, e tem chances de ser citado em investigação pela Procuradoria Geral da República, segundo o jornal Folha de São Paulo.

DE OLHO!!!

Governo Temer desmonta Polícia Federal na Lava Jato

A corporação, contudo, nega através de nota a informação


O Governo de Michel Temer desmobilizou a Polícia Federal na Operação Lava Jato em Curitiba. Segundo apurou a coluna Esplanada do portal UOL, nos últimos três meses, houve gradativa troca de subordinados dos investigadores, 'convites' para direções em superintendências e remanejamentos forçados de delegados.
Nos últimos meses foram remanejados da equipe os delegados Eduardo Mauat, Duílio Mocelin e Luciano Flores (o que levou o ex-presidente Lula da Silva sob condução coercitiva).
Márcio Ancelmo, o coordenador, é o último bastião da equipe e foi convidado para ocupar um alto cargo na direção da corporação. Érika Marena, a ex-chefe do grupo – e que deu nome à operação – acaba de ser remanejada contra sua vontade para Florianópolis.
Contudo, apesar da comprovação de troca de cargos e mudanças na equipe da PF, divulgada pela coluna Esplanda, a Assessoria de imprensa da DPF disse que a informação não é a realidade nos âmbitos da corporação e questionou a nota.
Nesta noite, a PF enviou uma nota oficial. Confira na íntegra:
''A Polícia Federal repudia veementemente o teor da nota “Governo desmonta a Polícia Federal na Lava Jato em Curitiba”, veiculada hoje (24/11) pela Coluna Esplanada.
Ao contrário do informado pelo jornalista Leandro Mazzini, não ocorreram remanejamentos forçados de delegados.
Conforme nota divulgada durante a deflagração da 31ª fase da operação em julho deste ano e amplamente divulgada pela imprensa, os delegados Eduardo Mauat da Silva e Duílio Mocelin Cardoso retornaram às suas unidades de origem e foram substituídos por autoridades policiais com larga experiência em investigações internacionais que envolvam crimes financeiros e lavagem de dinheiro.
Os delegados Luciano Flores e Érika Marena aceitaram espontaneamente os convites feitos, respectivamente, pelos superintendentes regionais no Espírito Santo e em Santa Catarina para assumirem funções importantes nas unidades mencionadas. Ambos se sentiram honrados com os novos trabalhos.
Sobre o delegado Márcio Ancelmo, não é verdade que ele tenha recebido convite para ocupar “um alto cargo na direção da corporação”.
A PF também rejeita a afirmação de que a equipe passou a contar com delegados jovens e inexperientes. A formação e capacitação dos policiais federais é referência mundial. No caso da Operação Lava Jato, é fato público e notório o alto grau de capacidade técnica de todos os servidores envolvidos na investigação''.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Petrobras aprova acordos para encerrar 11 ações individuais nos EUA

Estatal já havia firmado acordos para encerrar outras 4 ações individuais.
Acordos estão inclusos em provisão de R$ 364 milhões feita em balanço.

A Petrobras afirmou que seu conselho de administração aprovou nesta quarta-feira (23) a celebração de acordos para encerrar 11 ações individuais propostas na Corte Federal de Nova York, em processos em que investidores pediam reparações pelo escândalo bilionário de corrupção envolvendo a petroleira.

A Petrobras já havia firmado acordos para encerrar outras quatro ações individuais propostas na mesma corte, como informado no mês passado. No balanço do terceiro trimestre, a Petrobras reconheceu provisão de R$ 364 milhões para os acordos. Segundo a Petrobras, os valores dos acordos informados nesta quarta-feira estão incluídos nessa provisão.

"No momento, não é possível para a Petrobras fazer estimativa confiável sobre o desfecho da class action (ação coletiva)", disse a estatal em fato relevante.

Os acordos autorizados nesta quarta-feira envolvem a Abbey Life, Aberdeen, Danske, Delaware Fund, Dimensional Fund, Manning & Napier Advisors, Russell Investment Company, Skagen, State of Alaska Department of Revenue, Treasury Division, State Street Cayman, e Ohio Public Employees Retirement System.

"Esses acordos, cujos termos são confidenciais, não constituem qualquer reconhecimento de responsabilidade por parte da Petrobras, que continuará se defendendo firmemente nas demais ações em andamento e têm como objetivo eliminar incertezas, ônus e custos associados à continuidade dessas disputas", diz o comunicado.

fonte: G1.com

Petróleo opera em alta em meio a expectativas com reunião da Opep

Os contratos futuros de petróleo operam em alta na manhã desta segunda-feira, beneficiados com pelo sentimento positivo com a proximidade da reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que deve votar, na semana que vem, um acordo para reduzir a produção e dar suporte aos preços.
Às 9h02 (de Brasília), o Brent para janeiro negociado na Intercontinental Exchange (ICE) subia 1,90%, a US$ 47,75, enquanto o barril WTI para o mesmo mês avançava 1,90%, a US$ 47,25.
Investidores se animaram com notícias dando conta de que ministros de energia de dois dos países mais relutantes do cartel em relação aos cortes de produção, Irã e Iraque, resolveram apoiar a proposta. O grupo se reúne no próximo dia 30.
Enquanto parte dos observadores se animaram com a notícia, outros alertaram que o apoio foi feito em comentários bastante vagos.
Para analistas do Barclays, a Opep se encontra em um momento em que precisa decidir entre duas opções difíceis. Se decidirem cortar a produção e produzir uma alta de curto prazo nos preços, eles abrem espaço para a volta da produção norte-americana no médio prazo. Por outro lado, se a decisão for por não fazer nada e deixar o mercado se ajustar naturalmente, os produtores sofrerão com a queda das receitas.
"Ainda acreditamos em um acordo da Opep para manter alguma reputação. Neste caso, ele seria um acordo flexível, não muito diferente do que os países do cartel planejaram inicialmente para o início de 2017", diz o banco, em nota.
Paralelamente, por causa do feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos, a negociação do WTI deve ficar abaixo do normal e gerar alguma volatilidade nos últimos dois dias da semana, especialmente tendo em vista a proximidade com a reunião da Opep.
 Fonte: Dow Jones Newswires.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Petrobras tem prejuízo de R$ 16,5 bilhões no terceiro trimestre

A Petrobras teve prejuízo de R$ 16,458 bilhões no terceiro trimestre de 2016, segundo balanço da companhia divulgado hoje (10). No mesmo período do ano passado a estatal havia registrado prejuízo de R$ 3,8 bilhões, com baixas contábeis e valorização do dólar. Entre abril e junho, a empresa tinha registrado lucro de R$ 370 milhões. No acumulado do ano, o prejuízo foi R$ 17,3 bilhões.

O motivo das perdas apresentados pela empresa no trimestre foram baixas contábeis de R$ 15,7 bilhões, devido à queda do dólar, revisão de premissas, o recente Programa de Incentivo ao Desligamento Voluntário e a reserva de recursos com acordos judiciais nos Estados Unidos.

A receita da petroleira foi R$ 70,4 bilhões no período e apresentou queda de 14% em relação ao mesmo período do ano passado (R$ 822 bilhões). Os investimentos também caíram, chegando a R$10,3 bilhões, menos 42,7% na comparação anual.

A estatal recebeu R$ 2,388 bilhões com desinvestimentos no período e R$ 2,4 bilhões pela venda de ativos no acumulado do ano.

Produção

A produção total de petróleo e gás natural da Petrobras foi de 2.869 mil barris de óleo equivalente por dia, aumento de 2% em comparação com o segundo trimestre de 2016.

Ainda de acordo com o balanço, houve recorde de produção, dentre eles a de petróleo e gás no Brasil (2.753 mil barris por dia) e a de petróleo e gás operada pela Petrobras na camada pré-sal (1.464 mil barris por dia).

A produção de derivados teve queda de 3%, totalizando 1.862 mil barris por dia.

Já as vendas no mercado doméstico atingiram 2.088 mil barris por dia, queda de 1%.

fonte: EBC

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Câmara conclui votação do projeto que acaba com obrigatoriedade da Petrobras no pré-sal

(Reuters) - O plenário da Câmara dos Deputados rejeitou destaques pendentes e concluiu a votação do projeto que acaba com a obrigatoriedade da Petrobras atuar como operadora exclusiva do pré-sal.
Como o projeto teve origem no Senado, com sua aprovação pela Câmara, ele seguirá para sanção presidencial.
Pelo projeto, o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) oferecerá a preferência à Petrobras, que deverá se pronunciar num prazo de 30 dias. Caso seja do interesse da estatal operar o bloco, sua participação mínima no consórcio não poderá ser inferior a 30 por cento.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Gas Natural Fenosa investe 85 milhões em centrais solares no Brasil

A multinacional energética espanhola Gas Natural Fenosa, através da sua filial Global Power Generation (GPG), vai investir cerca de 85 milhões de euros para adquirir uma participação maioritária em duas centrais solares do grupo brasileiro Gransolar.
Em comunicado, a empresa afirma que se trata do primeiro projeto de geração elétrica no país e acrescenta que a produção estimada deverá chegar aos 154 gigawatts por hora anualmente.
Os parques solares vão chamar-se Sobral I e Sertão I, e estão situados na região de Piauí, no norte do Brasil.
A GPG é uma empresa da Gas Natural Fenosa dedica à geração elétrica internacional, e tem no seu capital uma participação de 25% da Kuwait Investment Authority (KIA), o fundo soberano mais antigo do mundo.
A notícia do investimento no Brasil é a última de uma série de investimentos anunciados nos últimos meses, nos quais se incluem 325 milhões no Chile e mais 120 na Austrália.
A multinacional espanhola apresentou hoje os resultados para o terceiro trimestre, anunciando que os lucros desceram 15 por cento, para 930 milhões de euros, nos primeiros nove meses do ano.
No documento enviado ao regulador espanhol, a empresa mantém a previsão de lucros entre 1,3 e 1,4 mil milhões de euros no conjunto do ano.

Indenização por morte em acidente de trabalho

Confira os 2 tipos de indenização a que têm direito os parentes de funcionário que morre após acidente de trabalho. A indenização por dan...