quarta-feira, 31 de maio de 2017

Adriana Ancelmo faz pedido que irrita os procuradores do MPF

ntenda os motivos pelos quais a força-tarefa da Lava Jato entrou na justiça contra um decisão do juiz responsável pela prisão dela.


Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, se encontra com o benefício de cumprir prisão domiciliar. Porém, umas das condições impostas pela Justiça para que ela permaneça no regime domiciliar é justamente o não acesso à internet, telefone fixo e celular. Por este motivo, o juiz responsável por conceder que a esposa de Cabral passasse a cumprir sua pena em regime domiciliar estabeleceu que fosse desconectado do seu apartamento os serviços de telefonia fixa e móvel e internet.


Mas a ex-primeira-dama do Rio de Janeiro solicitou na Justiça que fosse permitido que ela tivesse um computador em sua casa com a alegação de que precisa acessar os autos dos processos, já que ela é advogada.

O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro não concorda com a permissão para ela ter o computador, já que pode facilitar com tenha acesso à internet através de um modem sem fio, que poderá ser conectado e desligado a qualquer momento, sem que possa ser rastreado pela Justiça.

Baseado nestas alegações, os Procuradores da força-tarefa da #Lava Jato do Rio entraram na Justiça solicitando que o juiz Marcelo Bretas, da 7° Vara Federal do Estado, reconsidere sua decisão na qual atendeu ao pedido formulado pela defesa da mulher de Sérgio Cabral e não dê mais a permissão para que a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo tenha acesso a um computador sem internet em sua residência.

Eles alegam que esta solicitação pode ter apenas como finalidade uma estratégia oculta de burlar a fiscalização da Polícia Federal, já que a utilização de um modem sem fio dificultaria a detecção da utilização da internet dentro do apartamento dela.


A informação foi divulgada nesta segunda-feira (29), em nota pela assessoria do MPF.

Lembrando que Adriana Ancelmo foi presa juntamente com Sérgio Cabral por supostamente participar do esquema milionário de corrupção, propina e lavagem de dinheiro montado pelo marido durante os oito anos em que ele foi governador do Estado do Rio de Janeiro. Após uma decisão muito polêmica e que causou revolta na população brasileira, ela conseguiu o benefício de cumprir sua pena em casa.

Desde então se encontra morando no apartamento luxuoso da família Cabral, situado no bairro nobre do Leblon. Para conseguir este benefício, a defesa de Adriana Ancelmo alegou que os dois filhos dela com Sérgio Cabral são menores de idade e não poderiam ser privados simultaneamente da convivência do pai e da mãe.


Postar um comentário

Pena contra trabalho escravo deve ser maior, defende Raquel Dodge

Procuradora-geral falou na abertura de um seminário, em Brasília, sobre a sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos, que em deze...