sexta-feira, 7 de junho de 2013

Petrobras adia para 2016 início da operação do Comperj e reduz em 50% contrato com Odebrecht

Alvo de sucessivos atrasos, aumentos de custo e mudanças de projeto, o Comperj, unidade petroquímica da Petrobras localizada no Rio, sofreu mais um adiamento em seu prazo de entrega. A entrada em operação da primeira fase da unidade foi postergada para agosto de 2016. 

O último prazo definido havia sido abril de 2015.
Dificuldade de acesso de grandes equipamentos bem como questões ambientais envolvendo área ambiental da região do complexo é apontada como as principais razões para a postergação do projeto.

A presidente da Petrobras também informou que reduziu em "quase metade" o valor de um contrato de prestação de serviços da Odebrecht com a companhia em suas unidades no exterior, como refinarias e outras operações. A executiva não precisou os valores exatos. Segundo ela, o custo caiu de pouco mais de US$ 800 milhões para algo em torno de US$ 400 milhões.


Postar um comentário

Pena contra trabalho escravo deve ser maior, defende Raquel Dodge

Procuradora-geral falou na abertura de um seminário, em Brasília, sobre a sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos, que em deze...