sexta-feira, 27 de maio de 2011

Petrobras afirma que plataforma P-65 está parada desde segunda

A Petrobras afirmou nesta sexta-feira que a plataforma P-65, situada na Bacia de Campos, já estava parada desde a segunda-feira devido a uma manutenção programada.


Ontem, o Ministério do Trabalho havia determinado a interdição dessa plataforma por conta de irregularidades como falta de iluminação de emergência e nas rotas de fuga, além de pisos e escadas sujas com obstáculos.

Segundo o Sindipetro/NF (Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense), 12 plataformas da bacia de Campos apresentam más condições e necessitam reparos. Um relatório foi entregue ao ministério do Trabalho.

Em nota, a petrolífera alega que parte das irregularidades identificadas pelos técnicos do Ministério do Trabalho "já havia sido identificada anteriormente pela Petrobras e encontra-se em fase de conclusão pela equipe técnica" e que "outras estão sendo antecipadas visando cumprir as determinações".

A Petrobras também afirmou que a plataforma foi adquirida em 2009 e que desde esse ano "vem recebendo pequenas modificações para seguir o padrão de projeto das demais plataformas" da companhia.

A empresa também esclareceu que a P-65 não é produtora de petróleo, tendo função auxiliar no tratamento de óleo das demais unidades. Dessa forma, afirma, a parada programada para manutenção "não impacta a produção de petróleo".

Concluindo, a diretoria da estatal afirma que "adotará todas as exigências da Superintendência [do Ministério do Trabalho], mas reafirma que suas plataformas operam dentro dos mais rigorosos padrões de segurança da indústria do petróleo".

Link da Notícia Original:


Postar um comentário

Pena contra trabalho escravo deve ser maior, defende Raquel Dodge

Procuradora-geral falou na abertura de um seminário, em Brasília, sobre a sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos, que em deze...